segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Visto de turismo para a Guatemala e Belize. Precisa?

Se você, assim como eu, está pensando em dar uma passada pela Guatemala na sua próxima viagem, pode ficar tranqüilo em relação ao visto de turismo. Os cidadãos brasileiros que permanecerem no país por até 90 dias estão isentos da obrigação de obter um visto para entrar nesse país. É necessário apenas apresentar um passaporte válido e o certificado internacional de vacina contra a febre amarela.

De acordo com informações da internet, o procedimento de entrada e saída no país costuma ser muito simples e rápido, e não é necessário pagar nenhuma taxa. Entretanto, não são raros os relatos de corrupção por parte dos policiais da fronteira, principalmente para quem entra no país por terra. Os oficiais costumam exigir pagamentos de propinas (disfarçadas de taxas), em valores que variam de cinco até vinte ou mesmo trinta dólares. Tente, sempre que possível, evitar o pagamento dessas propinas, mencionando ao policial a isenção de taxas para brasileiros ou mesmo se fazendo de bobo. Não arrisque, entretanto, a sua integridade física ou a continuidade da sua viagem. É melhor pagar a “taxa” do que ser preso ou acontecer até algo pior.
 

Em relação a Belize, a exigência de vistos para brasileiros que permanecerem no país por até 90 dias foi revogada em uma decisão unilateral do governo de Belize, datada de 01 de agosto de 2012. A embaixada brasileira em Belize informa que é necessário apenas levar uma cópia da passagem de retorno ao Brasil ou de saída para outro país, além de um passaporte válido e o certificado internacional de vacina contra a febre amarela. O Serviço Consular brasileiro sugere imprimir o Oficio do Ministro da Imigração de Belize (clique no link para ver uma cópia) para apresentação ao Agente de Imigração quando da chegada ao Aeroporto Internacional de Belize City ou outro posto de imigração. Por se tratar de uma decisão relativamente recente, é recomendável aos viajantes que consultem antes de embarcar se houve alguma alteração nesse decreto.


Nenhum comentário:

Postar um comentário