domingo, 18 de agosto de 2013

O dólar não pára de subir. E agora, o que eu faço?

Com o dólar subindo cada vez mais, como temos visto nos últimos dias e semanas, tenho recebido muitos e-mails de viajantes preocupados e sem saber o que fazer em relação à compra da moeda norte-americana ou de euros. É melhor comprar tudo agora, antes que a cotação suba ainda mais? Ou é melhor esperar para ver se o dólar baixa um pouco? E se o plano for sacar dinheiro no cartão de débito, o que fazer?

Como é muito difícil prever as cotações futuras do dólar (se fosse possível todos os economistas estariam ricos operando no mercado de câmbio), a decisão mais racional para aqueles que têm viagem marcada para os próximos meses é ir comprando aos poucos para fazer um preço médio e evitar maiores prejuízos. É claro que, se o dólar ou o euro caírem, vocês vão ter gastado um pouco a mais. Mas, por outro lado, se o dólar seguir subindo, vocês evitarão um prejuízo maior. Comprando aos poucos, você faz um preço médio, e evita a consequência de oscilações muito grandes.

Mas isso só vale se você for levar seu dinheiro em papel moeda ou se for usar um cartão pré-pago, do tipo VTM. Nesses casos, vá comprando pouco a pouco ou no caso do VTM, carregando o saldo um pouco a cada mês ou a cada semana, até o dia da sua viagem. Caso a sua opção seja sacar o dinheiro em moeda local, usando um cartão de débito, nesse caso não há muito o que se fazer: é esperar a data da viagem e torcer.

Mas vale a pena lembrar também que o dólar está se fortalecendo em relação à quase todas as moedas do mundo. Assim, se você tem uma viagem marcada para algum país fora do eixo dólar / euro (como por exemplo para o México, como é o meu caso, ou qualquer país da América Latina, África, Ásia, etc.), o seu prejuízo é bem menor, já que o dólar também está se fortalecendo em relação ao peso mexicano e outras moedas, o que faz você ganhar um pouco nessa segunda conversão (se o dólar se fortalece, você perde na conversão real x dólar, mas ganha na conversão dólar x peso, por exemplo, compensando, pelo menos parcialmente, seu prejuízo). 

Ah, e não esqueça também que, se você for viajar para um país cuja moeda não é o dólar ou o euro, e carregar o seu VTM com dólares ou euros, você estará congelando a cotação real x dólar (e evitando perdas com um aumento posterior da cotação), mas não estará congelando a cotação da segunda conversão (por exemplo, entre dólares e pesos mexicanos), que seguirá variando ao longo do tempo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário