quinta-feira, 13 de junho de 2013

Perguntas e Respostas: Dirigindo pela África do Sul e Suazilândia

Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Olá, Luiz! Como vai? Há um ano penso em conhecer a Suazilândia. Fuxicando em sites, vi uma matéria sua no Mochila Brasil. Gostei muito de suas dicas! Seu blog também é muito maneiro. Eu procurei algumas agências de viagens para verificar hospedagem, mas os valores foram estratosféricos. Alguns nem conheciam o pequeno país. Gostaria de saber onde ficou hospedado na Suazilândia. Pretendo passar dois dias lá. Você fez reserva pela internet? Tenho o maior medo de levar calote!  Na verdade eu gostaria mesmo de alugar um carro, como você fez. Pensei em voar até Johanesburgo, passar uns quatro dias lá, fazer o Kruger Park, seguir pra Suazilândia e depois pra Maputo, sendo esse o destino final. O problema é que TODO mundo está me amedrontando, dizendo que há muita criminalidade nas estradas e que é perigosíssimo andar a pé em Johanesburgo. Procurei agências locais, mas ninguém respondeu. Desculpe incomodá-lo com tantas perguntas. Muito obrigada! Fernanda.

Oi Fernanda, tudo bem? Eu só fiquei na Suazilândia por uma noite, vindo de Santa Lucia, e a caminho do Kruger. O país é bem pequeno e pode ser atravessado de carro em algumas horas. Eu, como só estava de passagem, acabei não fazendo reserva em hotéis ou albergues, e utilizei o meu guia Lonely Planet para achar uma acomodação numa cidade próxima, quando comecei a ficar cansado de dirigir e o dia começou a escurecer. Dormi uma noite no hotel e logo pela manhã do dia seguinte segui viagem de volta à África do Sul, chegando ao Kruger por volta do meio dia. Então, não tenho, infelizmente, muitas informações sobre hotéis na Suazilândia para te repassar, e nem mesmo muitos dados sobre tours e passeios no país. Mas o Guia Lonely Planet da África do Sul foi bastante útil, já que possui um capítulo específico sobre a Suazilândia, com muita informação útil. Acho que vale a pena levar esse guia com você nessa sua viagem...

Alugar um carro na África do Sul é uma excelente idéia, principalmente se você for de Johanesburgo até o Kruger, que é um trecho relativamente curto e muito tranqüilo para se dirigir por conta própria. Vale a pena, inclusive, dar uma parada numa cidade chamada Graskop, que fica no meio do caminho e é estrategicamente localizada perto da região de Blyde River Canyon, que merece uma visita. Eu acabei alugando um carro em Durban, e dirigi rumo ao norte até chegar ao Kruger (passando pela Suazilândia). Dirigir por uns 15 dias e não tive nenhum problema no caminho.


Como eu disse acima, não tive qualquer problema com violência as estradas da África do Sul ou da Suazilândia. E conheço diversas pessoas que dirigiram de Johanesburgo até o Kruger (ou o caminho inverso) e todas percorreram esse trecho sem qualquer dificuldade. Mas não posso te falar sobre como é dirigir em Moçambique e em Maputo. Pode ser mais violento ou perigoso, não sei ao certo, então vale a pena pesquisar com mais calma. Em relação à Johanesburgo, essa é realmente uma cidade mais violenta e um pouco assustadora. Mas, nos dois dias que passei por lá, eu contratei um guia para me levar pela cidade durante o dia, e acabei conhecendo as principais atrações sem problemas, incluindo uma visita à Soweto e ao Museu do Apartheid, que é imperdível. A noite, saía para jantar de taxi, e deixava o carro alugado na garagem. Esse guia eu contratei no albergue em que eu estava hospedado, e parece que muitas pessoas optam por visitar a cidade com a ajuda de um guia local. Eu não costumo fazer isso, já que eu me sinto menos a vontade com uma pessoa estranha ao lado, me seguindo o dia todo, mas nesse caso achei melhor não arriscar, e acho que foi a melhor escolha. Mas, de qualquer forma, Johanesburgo é uma cidade que merece ser visitada, apesar de achar que quatro dias pode ser muito para a cidade (dois dias parece ser mais razoável, três dias no máximo). Abraços e boa viagem!


2 comentários:

  1. Olá Luiz, vou pra Africa do Sul em outubro e acebei "descobrindo" Lesotho. Esteve por lá? Tem alguma dica ou opinião sobre o país?
    Com relação à Swaziland precisa de visto? Tiro na fronteira? Grato pelas informações e parabéns pelo blog, muito bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Mário, tudo bem? Infelizmente eu não conheço o Lesotho (mas está na minha lista! hehehe). Sobre a Suazilândia, os brasileiros não precisam de visto, e o procedimento de entrada parece com o da África do Sul, só que um pouco mais confuso e menos organizado! Você só precisará pagar uma taxa e preencher uma papelada. Ah, se for atravessar a fronteira de carro, não se esqueça de avisar antes à empresa onde você for alugar o seu carro. Eles te darão a documentação necessária para você cruzar a fronteira com o veículo alugado.

      Abraços e continue nos visitando sempre, hein!

      Excluir