terça-feira, 21 de maio de 2013

Foto da Semana – Balões da Capadócia


Bem cedo pela manhã, os balões se preparam para alçar voo.  No primeiro plano, à direita, um balão semelhante ao que se acidentou, de uma das mais tradocionais companhias locais. Que esse terrível acidente não impeça que outros brasileiros aproveitem essa experiência única nos céus da Capadócia.


A cada semana (ou sempre que possível) postarei uma foto de minha autoria, de alguma de minhas viagens. Além de me ajudar a relembrar antigos destinos (e me fazer sonhar com um possível retorno), vai me permitir compartilhar com vocês alguns dos lugares mais incríveis que pude visitar. Se você já conhece esse local e tem algum comentário ou dica, não deixe de escrever!



segunda-feira, 20 de maio de 2013

Acidente de balão mata três brasileiros na Turquia


Fonte: O Globo

Três brasileiros morreram e pelo menos oito ficaram feridos em um acidente entre dois balões em Nevsehir, na Capadócia, região central da Turquia, segundo informações da embaixada brasileira em Ancara. O acidente aconteceu por volta da meia noite (horário de Brasília). O Ministério das Relações Exteriores só deve divulgar os nomes das vítimas depois que avisar as famílias de cada uma delas no Brasil. A polícia turca ainda está tentando checar a identidade de todos os feridos. Alguns faziam o passeio de balão sem documentos pessoais.

— As famílias estão sendo contatadas pelo Itamaraty e pela embaixada. Minha equipe e eu lamentamos essa fatalidade — afirmou o embaixador Antônio Luís Espínola Salgado, que está à frente da embaixada brasileira em Ancara.

Pelas informações que chegaram à embaixada, dois balões que faziam passeios com turistas se chocaram nas proximidades de Nevsehir, capital da Capadócia, por volta das 6h (horário local) desta segunda-feira. O revestimento do "envelope" de um dos balões esbarrou no cesto de um outro balão e, a partir daí, começou a cair de uma altura de aproximadamente 300 metros. Pelo menos 24 turistas estavam no balão que caiu. Deste grupo, três brasileiros morreram e oito ficaram feridos, um deles em estado grave. Um dos brasileiros já teve alta hospitalar. quatro estão internados em Nevsehir, e três em Kayseri.

O Itamaraty confirmou a morte de uma mulher de 71 anos, do Rio de Janeiro. Pelo menos uma espanhola também ficou ferida no acidente. As vítimas foram levadas para hospitais de Nevsehir e de outras cidades vizinhas. A embaixada brasileira não sabe quais teriam sido as causas do acidente. Para Salgado, é necessário aguardar o resultado das investigações da polícia turca.

Entre os brasileiros feridos está o casal Wagner Ferreira Santo, de 59 anos, e Rosana Santo, de 58. Ambos tiveram fraturas. Um dos filhos do casal, Fabiano, vai para a Turquia para dar assistência aos pais. O outro filho do casal, Wagner Jr., contou ao GLOBO que o pai ligou em casa para avisar sobre o acidente.

— Ele estava desesperado, contou que o balão havia caído e que não estava encontrando a minha mãe. Ele reclamava que sentia muitas dores. A minha mãe fraturou a bacia e foi operada. O meu pai também sofreu fraturas. Eles estão em hospitais diferentes — disse o filho. O casal viajou para a Turquia na quarta-feira e pretendia ficar até o dia 27.

O Itamaraty disponibilizou dois telefones para que parentes no Brasil busquem informações sobre o acidente: 61 2030-8804 ou 61 2030-8803, além do e-mail: dac@itamaraty.gov.br.

Segundo a agência Ansa, a primeira vítima morreu no momento do acidente e a outra, no hospital.

O balonismo é uma prática antiga na Capadócia e teria crescido significativamente nos últimos cinco anos. Tem crescido também o número de turistas brasileiros que viajam à Turquia. O movimento teria aumentado mais ainda com a exibição da novela “Salve Jorge”, da TV Globo. Só no ano passado foi registrada a entrada de 90 mil turistas brasileiros em Istambul e outras cidades turcas.

A Capadócia é famosa por suas formas geológicas chamadas chaminés de fada. Passeios de balão são uma maneira popular de ver as formações cônicas, criadas pela erosão de cinzas vulcânicas em torno delas.

Após o acidente, os passeios de balão foram suspensos. O prefeito de Nevsehir já informou, porém, que eles voltarão a ser feitos amanhã. O passeio de balão é uma das principais atividades turísticas da região. Eles custam entre 50 e 150 euros.

O acidente desta segunda-feira ocorreu cerca de três meses depois de um balão de ar quente ter explodido em Luxor, no Egito, matando 19 pessoas.


*             *             *


Comentários: Realmente lamentável esse terrível acidente na Capadócia, mais um envolvendo voos de balão em destinos turísticos muito frequentados por brasileiros e viajantes de todo o mundo. Eu mesmo fiz esse passeio há menos de um ano, e foi um voo super tranquilo, sem qualquer problema e com ventos muito fracos que permitiram um sobrevoo suave. A companhia responsável pelo balão que se acidentou (Anatolia Balloons) é uma das mais tradicionais da região, e os seus pilotos costumam ser muito experientes e habilidosos. Provavelmente foi uma triste fatalidade, mas que merece ser investigada mais a fundo pelas autoridades competentes. Só espero que isso não assuste os viajantes brasileiros desse destino que certamente merece ser visitado (inclusive com direito a um voo de balão).


segunda-feira, 6 de maio de 2013

Chegou a hora de escolher o próximo destino: México, Guatemala e uma passadinha em Belize


Um pouco menos de seis meses se passaram desde que voltei da minha última viagem e pouco menos de seis meses faltam para as minhas próximas férias. E isso significa que chegou a hora de escolher o próximo destino. Nessas últimas semanas (ou últimos meses) tenho pensado bastante nessa próxima aventura. As sugestões enviadas através da enquete do Cruzando Fronteiras ou pelos e-mails que recebi ou ainda pelas conversas que tive me ajudaram bastante, mas algumas vezes criaram ainda mais dúvidas sobre onde ir dessa vez!

Mas nesse último fim de semana finalmente tomei coragem e comprei as passagens aéreas. A partir de agora não se pode mais mudar de ideia, e não há mais como trocar de destino! A próxima viagem está selada, e dessa vez vou para a América Latina, retornando ao continente das minhas primeiras viagens, que me deixaram ótimas lembranças.  Mas dessa vez me dirijo um pouco mais ao norte, mais especificamente para o México e para a Guatemala, com direito a uma passada rápida por Belize, para aproveitar por uns dois dias umas das suas ilhas.

Como ainda estou começando a planejar a viagem, não tenho um roteiro fechado (afinal, ainda faltam quase seis meses até a data de partida). Mas já sei algumas atrações que não quero perder, de forma alguma. Se tudo ocorrer conforme planejado, devo chegar ao México no dia 31 de outubro, a tempo de pegar um curto voo para Oaxaca e aproveitar o Dia de lós Muertos num dos melhores destinos para essa tradicional festa mexicana. Quero também aproveitar uma das noites na Cidade do México para assistir a um espetáculo de lucha libre, e uma das noites em Guadalajara para assistir aos famosos Mariachis. E é a partir dessa cidade que planejo fazer um tour pela cidade de Tequila, conhecer mais sobre o processo de fabricação dessa bebida – e beber muito também! E numa tarde de domingo, espero vibrar na Plaza de Toros, apesar de algumas dúvidas éticas quanto esse tipo de espetáculo. Quero visitar as cidades coloniais de San Cristóbal de las Casas e também de Mérida, de onde devo partir para conhecer as famosas ruínas de Chichen Itza. E isso, é claro, sem deixar de lado alguns dias em Playa Del Carmen, porque ninguém é de ferro, né!

Na Guatemala, meu plano é visitar o Lago de Atitlan e aproveitar um domingo para conhecer a famosa feira indígena de Chichicastenango. E, sem dúvida, passar alguns dias relaxando na cidade histórica de Antigua, onde pretendo escalar um dos vulcões da região. Partindo de Antigua, um ônibus noturno ou um rápido trecho aéreo me leva para Flores, base para conhecer as famosas ruínas de Tikal, uma das maiores obras arquitetônicas dos Maias, e uma das principais atrações turísticas do país. E é partir de Flores que devo seguir por terra até a cidade de Belize, onde um barco me levará até Caye Calker, uma pequena ilha caribenha e uma das principais atrações de Belize.

Acho que essa viagem promete ser uma das melhores que já fiz. Mas agora começa a parte trabalhosa (mas muito divertida). Ler muito sobre cada lugar, pesquisar, planejar, decidir e montar um roteiro completo, mas equilibrado, que me permita conhecer ao máximo cada lugar, mas sem que a viagem se torne corrida ou muito cansativa. Tenho trinta dias para preencher, e espero fazê-lo da melhor forma possível. Hoje começa a minha próxima aventura. E já estava na hora!


domingo, 5 de maio de 2013

Vai viajar em junho? Veja para onde ir e para onde não ir.

Planejando umas férias em junho? Com o verão chegando ao hemisfério norte e as temperaturas lá no alto no norte da África e no Oriente Médio, leia abaixo algumas dicas de lugares que vão estar no seu melhor momento e outros onde é melhor deixar o turismo para mais tarde.

É uma boa época para conhecer:

1 – Provence, França

Os campos de lavanda que dominam a paisagem da região de Provence estarão no seu melhor e mais colorido momento. Os campos são, junto com a Torre Eiffel, um dos maiores símbolos gauleses e quem visitá-los nesse período, com certeza aproveitará a região ao máximo. Além disso, em junho o dia fica claro até bem tarde, permitindo que se aproveite bastante o dia!





2 – Grécia.

A Grécia dispensa maiores comentários. O berço da civilização ocidental, com suas incríveis ruínas e cidades históricas é umas dos principais destinos do planeta. E o mês de junho é uma excelente época para conhecer a região sob uma temperatura agradável (chega a ficar um pouco quente, mas não muito), mas ainda longe das multidões de julho e agosto. Além disso, a temporada de arte está no seu auge neste mês. Tente conseguir um lugar para assistir a um concerto ou uma peça de teatro no auditorium de Lykavittos.

3 – Peru

A Trilha Inca, que liga Cuzco a Macchu Picchu é umas das mais famosas e belas trilhas do mundo. Percorrer esse trecho no mês de junho, com sua baixa temperatura e unidade, tornará essa longa caminhada mais agradável. Além disso, no mês de junho as chuvas do verão já terão ido embora, e a horda de turistas dos meses de julho e agosto ainda não terá chegado.




4 – Montenegro

Para um destino mais alternativo, vá para esse remoto canto da antiga Iugoslávia, onde as temperaturas do mar nesta época do ano atingem 25 graus Celsius ou até mais! Mas corra, porque em julho a região é invadida por turistas europeus e fica difícil até arrumar um lugar para dormir! As cidades históricas de Kotor e Budva, com suas muralhas e a sua bela costa, estão ficando cada vez mais populares.


5 – México

No México, sempre é uma boa época para o turismo, apesar dos meses de maio a setembro ficarem bastante quentes na região costeira ou na parte sul do país. Julho e agosto são os meses mais cheios e movimentados, assim como o período do Natal e do Ano Novo (e outros feriados). Assim, junho pode ser um bom período para aproveitar as praias antes da multidão chegar! Só não se esqueça de levar o protetor solar, porque o sol vai estar forte!








E é melhor não ir agora:

1 – Egito

Além do período politicamente conturbado na região (o que já seria um bom motivo para adiar um pouco uma viagem ao Egito), o mês de junho é muito quente em praticamente todas as regiões do país (e insuportavelmente quente em outras), com temperaturas quase sempre acima de 40 graus Celsius. No Cairo, a combinação de calor, barulho, poeira e poluição torna o turismo no verão um verdadeiro teste de resistência. Por mais lindo que seja o país e mais imperdíveis que sejam suas atrações, é melhor deixar para visitá-las no inverno!

2 – Oriente Médio

Pelos mesmos motivos descritos acima, deixe para conhecer Dubai e as outras cidades da região em outro momento. Após setembro, as temperaturas começam a baixar, e tudo fica bem mais fácil e agradável.

3 - Japão

O mês de junho é o período de chuvas no país, o que tornaria qualquer tentativa de passear e simplesmente caminhar pelas ruas uma tarefa mais molhada! Deixe para conhecer esse local incrível durante o mês de abril, quando as cerejeiras florescem e o país fica muito mais lindo.

4 – Índia

O mês de junho marca o fim do verão e o início do período das monções na Índia, principalmente na região centro-norte do país. O calor nesta época do ano é um serio problema para a maioria dos viajantes e a chuva que acompanha as monções torna tudo ainda mais difícil, apesar de junho ainda não ser um dos meses mais chuvosos. Se você for viajar nessa época, se dirija ao extremo norte do país, na região do Himalaia, onde as temperaturas não mais amenas. De uma forma geral (apesar do tamanho continental da Índia tornar as previsões mais complexas) o melhor período para visitar o subcontinente indiano são os meses de inverno, que vão de novembro a março.