quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Foto da Semana - Monastério Suspenso, Datong, China


Construído há mais de 1.500 anos, este belíssimo templo é único não só pela sua localização em um enorme precipício, mas também porque inclui elementos budistas, taoístas e confucianos.  As vigas de madeira, apesar de não suportarem de fato a estrutura do templo (já que a estrutura principal de suporte está escondida dentro da rocha), proporcionam um fascínio extra a esse monastério e o torna ainda mais imperdível.




A cada semana postarei uma foto de minha autoria, de alguma de minhas viagens. Além de me ajudar a relembrar antigos destinos (e me fazer sonhar com um possível retorno), vai me permitir compartilhar com vocês alguns dos lugares mais incríveis que pude visitar. Se você já conhece esse local e tem algum comentário ou dica, não deixe de escrever!

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Aconteceu no mundo: Tropas no Mali recuperam controle de cidade histórica


BAMAKO - Tropas francesas e forças do Mali retomaram nesta segunda-feira o aeroporto e as principais localidades Timbuktu, uma cidade estratégica no norte do país e reconhecida como patrimônio da humanidade pela Unesco. A operação, realizada por forças terrestres, começou no domingo e terminou durante a madrugada. Radicais islâmicos que dominavam a área fugiram com a chegada dos militares. No entanto, dias antes queimaram uma importante biblioteca, que guardava centenas de manuscritos centenários, segundo a prefeitura local.

- Os radicais colocaram fogo no Instituto Ahmed Baba. Isso aconteceu há quatro dias - disse o prefeito, Halle Ousmane, à agência Reuters.

Ousmane acrescentou que a região foi tomada no dia 1° de abril de 2012, quando radicais o expulsaram da cidade e queimaram seu escritório e a casa de um parlamentar. O Instituto Ahmed Baba é uma das mais importantes bibliotecas de Timbuktu e abrigava milhares de documentos frágeis, os mais velhos datados do século XIII. Muitos eram guardados no subsolo e podem ter sido salvos, segundo autoridades. Ainda não há dados precisos sobre o quanto o edifício foi danificado e quantas obras foram perdidas.

Sem disparar um tiro para deter radicais, cerca de mil soldados franceses, incluindo paraquedistas e 200 soldados malineses, tomaram o aeroporto e cercaram a cidade centenária do Rio Níger, buscando bloquear a fuga de combatentes aliados à al-Qaeda.

Os militares chegaram à área no domingo, enquanto aviões franceses bombardeavam Kidal, território que está nas mãos de radicais desde março de 2012. Como a resistência dos extremistas não tem sido expressiva, autoridades temem que muitos tenham fugido para o deserto e estejam à espera de uma oportunidade para invadir novamente o local.

Enquanto isso, tuaregues do MNLA anunciaram ter expulsado os islamistas de Kidal, que seria o último bastião extremista, mas não há confirmação independente desse relato. No entanto, as perspectivas da França em relação à investida no aliado africano são positivas.

- Pouco a pouco, o país está sendo libertado - disse o chanceler francês, Laurent Fabius, em entrevista nesta segunda-feira à emissora France 2.

A mítica Timbuktu, famosa por seus centenários mausoléus, foi declarada patrimônio da humanidade pela Unesco e passou dez meses sob o controle de extremistas, que aplicavam de forma rigorosa sua interpretação da lei islâmica, a sharia. Eles destruíram grande parte das estruturas históricas da cidade.

Timbuktu é um reduto sufista - uma corrente mais mística da religião de Maomé - tendo sido um importante centro de propagação do Islã pela África nos séculos XV e XVI. O grupo salafista Ansar al-Din, no entanto, condena a idolatria e outras práticas da tradição sufista, classificadas como heresia, o que justifica os ataques contra o complexo de templos.

No sábado, forças no Mali tomaram o aeroporto e a ponte de Wabary, sobre o rio Níger, no reduto islâmico de Gao, a 1.200 km a nordeste da capital Bamako. O anúncio, feito de Paris, mostrou que as unidades francesas e malineses estão fazendo um rápido progresso em sua ofensiva no nordeste contra a coalizão de grupos islâmicos.

Durante duas semanas, jatos e helicópteros franceses foram desapropriando os islâmicos que recuavam, destruindo seus veículos, postos de comando e depósitos de armas.


*                            *                             *

Comentário: O avanço das tropas francesas é um alívio para todos aqueles que se importam com a preservação das maravilhas históricas malinesas e do seu povo. Mas pode ter sido tarde demais para salvar os tesouros de Timbuktu. Uma perda irrecuperável para a humanidade.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

Perguntas e Respostas: Tirando o visto para a China


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Oi Luiz, tudo bem? Ainda não decidi para qual cidade vou, não sei se Datong ou Xian. O que quero resolver primeiro é  o visto chinês. Vou fazer igual a você e vou reservar qualquer coisa e depois mudo. Você sabe se tem algum problema? Ou se lá na hora, caso eu decida ir pra Xian ou Datong eles vão exigir  alguma coisa? Como é esse roteiro? Preciso especificar as atrações que pretendo ir ou só as datas? Obrigada. Abraços, Raquel.

Oi Raquel, tudo bem? Conseguir o visto chinês é bem fácil (apesar da lista um pouco grande demais de documentos e exigências). No consulado do Rio de Janeiro, fiz tudo de forma bastante simples e também bem rapidamente. Fui ao consulado uma vez para solicitar o visto (levando todos os documentos necessários) e depois retornei na semana seguinte para pegar o visto (e levar o comprovante de pagamento da taxa consular).

Como eles exigiam um roteiro completo da viagem, incluindo a reserva de hotéis para todos os dias do roteiro, eu tive que improvisar, já que não costumo ter tudo isso pronto até dias antes de partir (e quase sempre parto sem ter todas as reservas feitas). Por isso, alterei o meu roteiro (que envolvia originalmente reserva em seis hotéis diferentes) e entreguei à funcionária do consulado um roteiro com apenas três cidades (Pequim, Xi'An e Xangai), e aproximadamente cinco noites passadas em cada uma das cidades. Fiz a reserva nesses três locais através do site Booking.com e, assim que o meu visto foi concedido, eu retornei ao Booking.com e cancelei as reservas. E só então comecei a procurar hotéis nas cidades em que eu realmente iria me hospedar, e nos dias corretos também.

O roteiro que eu entreguei no consulado era bastante simples, contendo apenas os dias da viagem e o nome das cidades ao lado de cada dia. Ela olhou rapidamente o roteiro e as reservas de hotéis, sem confrontar com muita atenção. Conferiu também o formulário preenchido, minha passagem aérea e a minha declaração de imposto de renda e foi só isso. Não se atentou muito à documentação e nem fez perguntas. Apenas conferiu se eu tinha preenchido todo o formulário corretamente (e eu tinha esquecido de preencher um campo) e me devolveu os demais papéis.

Quase todos que estavam na fila junto comigo conseguiram solicitar o visto sem problemas, com raras exceções. A maioria dos problemas foi causado por pessoas que não estavam com a documentação completa conforme exigido no site do consulado - além do caso de uma outra senhora que resolveu brigar com a atendente pela demora no atendimento e aproveitou gritar que a China era subdesenvolvida e atrasada (uma atitude não muito inteligente). Nesse caso, a atendente a mandou embora sem o visto.

Depois de buscar o visto na semana seguinte, não tive nenhum outro problema na hora da imigração (super rápido e sem nenhuma pergunta) ou dos trajetos ao longo do meu roteiro. Na hora de sair da China, também não tive problemas. Novamente, nenhuma pergunta, e um carimbo de despedida.

Como eu levei tudo organizado e impresso, dentro de uma pastinha, ela até me agradeceu por facilitar o trabalho dela! Então, é só levar todos os documentos, impressos e organizados, ser simpática com a atendente, preencher tudo corretamente, e acho que não haverá problemas! Boa viagem e continue nos visitando sempre!

Ah, para mais informações sobre como tirar o visto para a China, não deixe de ler esse post, onde explico tudo em detalhes.


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Vai viajar em março? Veja para onde ir e para onde não ir.


Março é um dos melhores períodos do ano para se viajar. No hemisfério norte, a primavera é garantia de lindas paisagens e de um clima ameno (mas prefira o sul da Europa, onde o clima vai estar ainda melhor!). Isso sem falar nos preços mais baixos (ou menos altos) e no menor número de turistas disputando cada espaço ao redor das principais atrações. No hemisfério sul, o calor começa a perder força, e a chegada do outono possibilita passeios mais agradáveis. Então, se você tiver a sorte de viajar nesse período, escolha uma dentre as muitas opções e aproveite! Pelo menos no que diz respeito ao clima, vai ser uma viagem para não esquecer!

Veja abaixo para onde ir no mês de março:

1 – Paris

Sim, Paris na primavera é romântico e incrivelmente bonito. Você deve encontrar belos dias de sol, e os primeiros sinais da primavera deixam a cidade ainda mais colorida. O turismo está voltando aos poucos, após os frios meses de inverno. Mas ainda não está no seu auge – então corra e aproveite a cidade antes da multidão chegar!




2 – Chile

Chile é uma das melhores opções para o mês de março. O início do outono é uma ótima época para se conhecer as maravilhas do sul, como Torres del Paine e os lagos chilenos. Mas corra antes que o frio do inverno torne a visita bem mais complicada! Se você for conhecer a Ilha de Páscoa, melhor ainda. O mês de março é o período ideal para explorar essa maravilha em um clima mais ameno e numa época mais sossegada.

3 – Barbados

Barbado oferece aos viajantes um pedaço do Caribe com um leve toque inglês, que remete ao século XVI, quando essa região era uma parte do império britânico. Até hoje você pode saborear o chá da tarde ao lado das paradisíacas praias caribenhas! Aproveite as belezas naturais dessa Ilha relaxando nas suas praias ou, se preferir, faça um passeio a bordo de um navio pirata!



4 – Bornéu

Poucos lugares são tão selvagens quando as selvas do Bornéu. Essa ilha coberta por montanhas, rios e florestas é o sonho de qualquer aventureiro. Lá você pode escalar, caminhar, mergulhar e descobrir cavernas e corredeiras, tudo em um só lugar – e isso sem dividir as paisagens com uma multidão de turistas. Esse é um país bastante úmido, mas em março o desconforto vai ter reduzido um pouco, fazendo desse mês um dos melhores para o turismo de aventura.


5 – China

Se mantivermos o atual nível de degradação ambiental, os mundialmente famosos pandas gigantes chineses não durarão por muito tempo – pelo menos, não em seu habitat natural. A província de Sichuan, no centro-sul da China, é o território desses incríveis animais, e a temperatura em março é ideal para tentar localizá-los fora dos seus esconderijos.









Mas é melhor evitar...


Quênia

Se você anda economizando os centavos para finalmente conhecer as maravilhas do Quênia, e mal pode esperar para conhecer os Masai Mara e para fazer um safári no Serengeti, é melhor se segurar por mais um tempinho. No mês de março, o país vai estar praticamente coberto pelas fortes chuvas... e pelos mosquitos! Espere o período das chuvas passar e você irá aproveitar muito mais.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Perguntas e Respostas: Onde se hospedar no Kruger Park e outras dúvidas


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Boa Tarde, Luiz. Primeiramente gostaria de te parabenizar pelo seu blog, de ótimo conteúdo. Estamos indo em dois casais para o Kruger Park em abril. Planejamos passar três noites em três campos diferentes: Lower Sabie, Skukuza e Satara (ou Olifants - não sei se pela distância dará tempo de chegar a Olifants). Cremos que dessa forma, veremos mais animais e paisagens diferentes. Porém estamos com as seguintes dúvidas: se não é mais vantajoso ficar as três noites num campo central (Skukuza ou Satara) e durante o dia rodar pelos outros (o que você acha?); e se é necessário reservar/comprar os passeios noturnos antecipadamente. Grato, Angelino.

Olá Angelino, tudo bem? Antes de mais nada, muito obrigado pela visita ao Cruzando Fronteiras e pelos elogios! Apesar da falta de tempo, eu tento manter o blog sempre atualizado. Então, não deixe de nos visitar sempre!

Bom, sobre os camps no Kruger, o mais importante é reservar tudo com bastante antecedência. E até mesmo antes de decidir em quais campos ficar, vale a pena entrar no site oficial do parque e verificar se ainda há acomodações disponíveis nesses três campos, quais tipos de acomodação estão livres e em quais tipos de acomodação vocês planejam ficar hospedados. Só então comece a pensar em quais campos ficar e quantos dias ficar em cada um...

Apesar de abril não ser uma época de alta temporada, nunca é bom arriscar, né! Eu fui para lá logo após o carnaval, e reservei os campos com quase seis meses de antecedência. E mesmo assim várias opções já estavam esgotadas.

Eu, em 2010, passei cinco noites no parque, e acho que três noites pode ser pouco, dependendo de quantos dias inteiros vocês vão permanecer por lá. Acho que três dias inteiros são o mínimo que alguém deveria passar dentro do parque, para garantir avistar um grande número de animais e o maior número possível dentre os Big 5 (eu acabei voltando sem ver um leopardo, mas consegui ver leões em duas oportunidades, além de vários elefantes, rinocerontes e búfalos). Mas acho que o ideal seria mesmo quatro dias inteiros...

Sobre em quais campos ficar, acho que depende muito de cada um. Ao ficar sempre no mesmo campo, você tem a comodidade de não ficar toda hora mudando de acomodação, com malas, check-out, etc. A desvantagem é que você vai se restringir a uma só região do parque. Talvez um bom meio-termo seja ficar duas noites em um campo e a noite final em um campo diferente. Nesse caso, eu acho que um bom campo para se passar duas noites é o Lower Sabie. Esse foi o meu campo favorito, pela quantidade de animais e também pela estrutura. E, lendo alguns fóruns da internet, acho que ele é o favorito de maioria dos viajantes. A outra noite você poderia passar em Skukuza (o maior campo do parque) ou em Satara. Olifants eu acho que fica um pouco longe para quem vai passar apenas três noites no Kruger. E, de qualquer jeito, é no sul do parque que fica a maior parte dos animais. Então, não vale tanto a pena se aventurar para o centro ou norte do Kruger com tão pouco tempo.

Sobre os passeios, eu reservei todos um dia antes, assim que chegava no campo. Acabei fazendo três desses passeios: um pela manhã bem cedo, um no final da tarde e outro pela noite. Dependendo do seu orçamento, recomendo fazer o maior número de passeios possível. Eles são bem legais para se ter mais informações sobre os animais e o ambiente, mas variam muito em qualidade, dependendo do guia. Alguns são mais simpáticos e passam muitas informações e te ajudam a avistar os animais. Outros são mais calados e não ajudam em quase nada. Então, fazendo mais de um passeio, é maior a chance de conseguir um guia bom e ter uma experiência legal.

Assim que chegar ao Kruger, pergunte sobre os passeios na recepção (no portão de entrada). Quem sabe você não consegue reservar todos de uma só vez na entrada do parque e garantir logo seus lugares? Acho que pode ser uma boa idéia, para evitar alguma decepção.

Bom, espero ter ajudado um pouco no seu planejamento. Mas, qualquer outra dúvida que você tiver, ou qualquer outra pergunta, é só escrever! Abraços, Luiz .


sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Perguntas e Respostas: Vale a pena conhecer Ho Chi Minh?


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Oi, Luiz! Obrigada pelas ótimas informações do blog! Estou elaborando um roteiro pelo sudeste asiático e não estou com muito tempo. Gostaria de saber o que você acha da cidade de Ho Chi Minh. Será que dá para pular ou você achou um ponto alto da sua viagem?

Olá! Tudo bem? Sobre Ho Chi Minh, eu gostei muito da cidade, principalmente por causa das suas atrações históricas e relacionadas à Guerra do Vietnã. Adorei o Museu da Guerra, que é chocante e triste, mas importante de se visitar, para se ter idéia das barbaridades cometidas durante essa e outras guerras no país. E gostei também de visitar os túneis cavados pelos vietnamitas na tentativa de resistência. Entrar nesses túneis é uma experiência marcante. E saber como eles sobreviveram anos em baixo da terra, uma coisa enriquecedora. E eu ainda tive a aterrorizante experiência de atirar com um AR-15 de verdade. E você pode atirar com diversas armas e até mesmo uma granada. O barulho é ensurdecedor. E também impressionante!

Além dessas, existem outras atrações menos importantes, que fazer a cidade merecer pelo menos uns dois dias de visita. E você pode também usar a cidade como base para visitar o Delta do Mekong, que dizem ser muito bonito. Infelizmente, eu não tive a oportunidade de conhecê-lo nessa viagem - mas uma visita continua nos meus planos futuros!

Mas é claro que tudo depende também dos seus interesses (atrações históricas te interessam?) e do tempo que você dispõe na região. Se quiser, me mande o seu roteiro, e podemos pensar juntos se vale a pena ou não conhecer Ho Chi Minh nessa viagem...

Bom, espero ter ajudado um pouco no seu planejamento e, qualquer outra dúvida, é só escrever!


quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Quer saber mais sobre onde eu me hospedei? Veja minhas críticas no Trip Advisor!


Freqüentemente recebo e-mails e mensagens pedindo recomendações de hospedagem em alguma cidade que eu já tenha visitado. Sugerir uma acomodação não é algo muito fácil, já que cada viajante possui seu estilo, seu orçamento, seus interesses, etc. Assim, um pequeno hotel que tenha me agradado muito pode não ser bom para alguém que procure uma cama num albergue. E um albergue agitado não é a melhor opção para quem esteja procurando um Bed & Breakfast pequeno e com um atendimento personalizado.

Mesmo assim, acho que uma recomendação pode ser útil para os demais viajantes, desde que se explique as características do lugar, o preço, localização e tudo o mais. Por isso, eu sempre escolho minha hospedagem lendo as opiniões dos outros viajantes no site Tripadvisor. E por isso também, sempre que retorno de uma viagem, eu acesso o Tripadvisor e posto lá as minhas críticas sobre os lugares onde fiquei.

Então, para aqueles que estão procurando dicas de hospedagem, eu sugiro dar uma olhada nas críticas que postei de todos os hotéis e albergues em que fiquei hospedado nas minhas últimas viagens. Nos últimos dias, eu postei as minhas impressões das acomodações da minha viagem pela China. E espero ainda nessa semana concluir as críticas dos hotéis na Turquia.  Para acessar meus reviews, é só clicar aqui!

É claro que, quem quiser mais informações ou maiores detalhes, pode me escrever e perguntar qualquer coisa! Mas, de forma geral, acho que as críticas que fiz no Tripadvisor podem orientar quem esteja atrás de dicas e sugestões.

Ah, as críticas foram postadas originalmente em inglês, já que esse é o idioma mais comum no site. Mas, para quem tiver dificuldade, é possível visualizar as resenhas traduzidas para o português. Só não ligue muito apara a qualidade da tradução – eles usam um tradutor automático e o resultado é um pouco estranho (normalmente, muito ruim mesmo!).

Então, clique aqui e veja o que eu achei dos lugares pelo mundo onde me hospedei!

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Foto da Semana – Essaouira, Marrocos


Essaouira é uma pequena cidade costeira marroquina, localizada à beira do Atlântico. Facilmente acessível a partir de Marraquexe, numa viagem de apenas três horas de ônibus ou carro, Essaouira possui uma arquitetura muito bonita e bem característica, onde se destacam as muralhas que cercam a Medina (consideradas Patrimônio Histórico pela UNESCO) e as pequenas casas pintadas de branco e azul.




A cada semana postarei uma foto de minha autoria, de alguma de minhas viagens. Além de me ajudar a relembrar antigos destinos (e me fazer sonhar com um possível retorno), vai me permitir compartilhar com vocês alguns dos lugares mais incríveis que pude visitar. Se você já conhece esse local e tem algum comentário ou dica, não deixe de escrever!


sábado, 12 de janeiro de 2013

Lonely Planet’s Thorn Tree Fórum: será o fim do maior e melhor fórum de viagens da internet?


Ontem, ao tentar fazer uma busca no famoso fórum de discussões do Lonely Planet, me deparei com uma surpresa nada boa. O Thorn Tree Forum não está mais funcionando como antigamente. Procurando por informações na internet, descobri que o fórum foi fechado pela BBC (que controla a marca Lonely Planet) no dia 22 de dezembro do ano passado, e permaneceu fora do ar por vários dias. No lugar do seu valioso conteúdo, apenas um aviso aos visitantes, que você pode ler na imagem ao lado. O site voltou ao ar no último dia 7, mas com um conteúdo muito limitado, sem diversos tópicos importantes e sem a fundamental ferramenta de busca. Será esse o fim do maior e melhor fórum de viagens da internet?

O Thorn Tree Forum esteve no ar por 16 anos ininterruptos e é considerado a principal fonte de informações sobre viagens da internet e o maior ponto de encontro da comunidade backpacker mundial.

Oficialmente, o site foi fechado porque se descobriu que alguns posts continham “linguagem e temas inapropriados”. Na realidade, desde que a marca “Lonely Planet” foi comprada pela gigante BBC, no ano passado, muitas coisas vêm mudando naquela que é a mais tradicional e famosa editora de guias de viagem do mundo.

Vamos torcer para que o fórum volte ao ar tão bom quando antes. Se não, o planejamento das minhas viagens vai ficar um pouco mais difícil. E a comunidade mochileira vai perder o seu principal ponto de encontro. Uma pena.


sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Perguntas e Respostas: Visitando Datong (incluindo o Monastério Suspenso e as Grutas de Yungan) a partir de Beijing


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Oi, Luiz! Estou planejando colocar Datong no meu roteiro pela China. Quanto custou a viagem de trem? E onde posso me informar sobre os horários de tours, ou vou sozinha até Datong conhecer os Grutas de Yungang e o Monastério Suspenso? Em um email você comentou contratar um motorista, mas não é caro? Obrigada! Raquel. 

Oi Raquel! Tudo bem? Como anda o planejamento da viagem? O bilhete de trem entre Pequim e Datong é bastante concorrido, e normalmente se esgota com bastante antecedência. Eu, para evitar qualquer problema, pedi para o meu hotel em Pequim comprar os bilhetes de trem com antecipação, e paguei diretamente a eles quando cheguei à Pequim. Eles cobraram uma taxa de 40 yuans por esse serviço, e acho que valeu a pena. O preço do bilhete de trem, na categoria soft-sleep (dois beliches por cabine) foi US$ 25 por pessoa. Na categoria hard-sleep (seis pessoas por cabine), o preço é US$ 17. O trem que eu peguei parte de Pequim às 23:42 e chega à Datong às 06:03. Se você não conseguir comprar os bilhetes de trem, existe também a possibilidade de você ir até Datong de ônibus, que partem frequentemente ao longo do dia e demoram de 4 a 5 horas. Eles são mais rápidos e até mais baratos do que os trens, mas com o trem você pode viajar a noite, e assim poupar tempo e dinheiro!

Um bom site para você confirmar horários e preços de trens é esse: http://www.travelchinaguide.com/china-trains. Mas não vale a pena comprar através do site, já que eles cobram um taxa muito alta por cada bilhete.

Chegando a Datong, um funcionário da CITS (uma agência de viagem) fica esperando os turistas que chegam no trem noturno. Nós éramos os únicos ocidentais naquele trem, então ele logo veio nos procurar e oferecer os passeios. Esse senhor (agora não me recordo o seu nome) está sempre por lá e é até mencionado no guia Lonely Planet e em vários fóruns da internet. Então, já contava com a ajuda dele quando planejei essa parte do meu roteiro. Ele realmente foi muito útil e nos ajudou com tudo que precisávamos em Datong. Como era muito cedo, e estava muito frio, fomos até a agência e ficamos lá dormindo e esperando até as 8:30, quando o dia clareou. 

A CITS oferece um tour diário para o Monastério Suspenso e as Grutas de Yungang, mas apenas quando há um número mínimo de pessoas interessadas. Nesse dia, entretanto, só estávamos nós dois na agência e, portanto, não havia a possibilidade tomarmos um tour e tivemos que contratar um carro privado para nos levar. O tour custava 100 ou 120 Yuans por pessoa, e o carro custou 300 Yuans pelo dia (eu paguei 250 Yuans ao motorista do carro e 50 Yuans à agência). Então, no final não foi tão mais caro assim, já que seríamos duas pessoas no tour. Viajando sozinha, realmente, o carro privado vai sair bem mais caro do que o tour, mas quem sabe você não encontra alguém para ir com você no passeio? Ou então pode ser que nesse dia haja outros turistas no trem...

O carro partiu às 9h30, e antes disso o gerente da CITS nos levou a um hotel para tomarmos café da manhã e ao caixa automático, já que eu precisava sacar dinheiro para pagar o táxi. No geral, eu achei que valeu a pena pagar pelo táxi (algo em torno de 50 dólares), já que assim conseguimos visitar as duas atrações em um só dia, o que não seria possível por conta própria. O passeio terminou por volta das cinco da tarde e então fomos comer novamente no hotel onde havíamos tomado o café da manhã. Depois, aguardamos até a noite, quando partia o nosso trem para Pingyao.

Apesar de parecer um pouco confuso, acho que essa é a maneira mais fácil de conhecer essas duas atrações imperdíveis, a partir de Pequim, sem perder muito tempo. É claro que, com alguém para dividir os custos, tudo fica mais fácil. Mas você pode tentar entrar em contato com a agência por e-mail e se informar com mais certeza sobre tours ou mesmo tentar ver no seu albergue em Pequim, se há a possibilidade de contratar um tour a partir da capital chinesa. Mas sempre compare os preços com o valor do carro em Datong, para saber qual é a opção mais vantajosa.

Bom, espero ter ajudado um pouco e, qualquer coisa, é só escrever! Abraços, Luiz.


quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Enquete: Qual deve ser o meu próximo destino? Me ajude a escolher!


Seguindo a tradição dos últimos dois anos, hoje colocarei no ar a enquete para que vocês me ajudem a decidir meu próximo destino! Apesar de ainda faltar muito tempo para a minha próxima viagem, deixo a enquete aberta desde já, com prazo até o fim de março, quando começarei a pesquisar os preços das passagens aéreas. Meu plano é comprar o bilhete até o final do mês de abril, para viajar no fim de outubro.

Dentre as opções de destino estão os suspeitos de sempre, como Índia, Egito, América Central e México, e algumas novidades que não estavam nas últimas pesquisas, como o Leste Europeu e o Japão. Acrescentei algumas outras opções como Miamar, Laos e o Norte da Tailândia, que tenho muita vontade de visitar, e também Israel e Jordânia, fazendo companhia ao Egito numa viagem bem interessante.

Lembrando que, na última pesquisa a vencedora foi a Turquia, com a China sendo também muito bem votada. E na primeira vez que publiquei essa enquete, o Sudeste Asiático foi o vencedor – e também o destino das minhas férias no ano seguinte!

Então, não deixe de dar sua opinião e votar na enquete!


quarta-feira, 9 de janeiro de 2013

Perguntas e Respostas: Comentários sobre um roteiro pelo Marrocos


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Fala Niquet! Tudo bem? Meu roteiro a princípio é o seguinte. A princípio decidi visitar bem só o sul de Marrocos (Marrakech e proximidades) e depois ficar alguns dias na região de vinícolas da Alentejo, em Portugal. Chego a Marrakech dia 10/02 e do dia 15/02 até 18/02 pretendo alugar um carro em Marrakech e ir para Ouarzazate. Depois, ficar em Ouarzazate e utilizá-la como base para alguns day-trips ou então dormir uma noite em Merzouga e voltar para Ouarzazate. De Ouarzazate até Merzouga tem 2 caminhos. Pretendo ir pelo caminho que passa por Agdz- Vale do Draa – Nkob- Tazzarine – Alnif – Rissani e voltar pelo caminho que passar por Gargantas do Todra – Boulmane – Kelaat M’gouna – Skoura. Além disso, você acha tranquilo fazer esse trajeto de carro? Há hotel para dormir em Merzouga ou tem que dormir em acampamento nômade? A viagem para Marrocos é tranqüila? Muita gente insistindo para vender as coisas? É perigoso andar por lá? E dirigir? Ao viajar por cidades menores como esse trajeto acima, é tranqüilo ir parando para tirar fotos, entrar nos Kasbah e em Ati Benhaddou? Quais hotéis você ficou em Marrakech, Ouarzazate e Merzouga? Se tiver mais alguma dica, será bem vinda.


Olá, Leo! Eu vi o quadro com o seu roteiro dia-a-dia (muito útil!) e acho que seu roteiro está legal, só com algumas coisinhas que não entendi direito. No dia 13 de fevereiro, você pretende fazer um day trip pra Essaouira, né? Acho que vale a pena conhecer a cidade e, apesar de um day-trip não ser muito tempo para um lugar tão bonito quanto Essaouira, considerando o seu roteiro corrido, acho que é uma boa idéia... Você pode fazer esse trajeto de ônibus, e é bem simples e fácil. Pegue o primeiro ônibus pela manhã (compre no dia anterior na estação de trem) e compre logo também o bilhete de retorno, para o fim da tarde ou início da noite. Aproveite e passe o dia caminhando nas muralhas e na cidade histórica, que é muito bonita. O tempo de viagem entre Essaouira e Marrakech é de 3 horas, mais ou menos. 

Em relação à visita ao deserto, acho que você poderia conhecer o deserto em M'Hamid, uma vila na região de Zagora. Junto com Merzouga, M'Hamid é outro local onde você pode visitar o deserto no Marrocos, com a vantagem de que M'Hamid fica bem mais próximo de Ouarzazate (enquanto Merzouga fica mais próximo de Fez)

Assim, você partiria de Marrakech no dia 14/2, e passaria o dia dirigindo até Ouarzazate, com uma parada no caminho em Ait-Benhaddou, que é a principal atração turística dessa região. A estrada é linda, num cenário deslumbrante. O tempo de viagem entre Marrakech e Ouarzazate é de 5 horas, mas com a parada em Ait-Benhaddou e outras paradas para fotos e almoço, você deve levar o dia todo no trajeto.

Descanse o dia seguinte, conhecendo as outras as atrações de Ouarzazate e no próximo dia (16/2) você seguiria viagem de Ouarzazate até M'Hamid, em outro trajeto memorável pelo Vale do Draa. O trajeto entre Ouarzazate e M'Hamid deve levar algo em torno de 5 horas, talvez um pouco mais contando com as muitas paradas para tirar fotos.

A alternativa, que seria sair de Ouarzazate para Merzouga, seria bem mais longa. É até possível dirigir de Ouarzazate para Merzouga em um só dia, mas seria uma longa viagem. Eu acabei fazendo isso para poupar tempo, mas sai do hotel às 8h ou 9h da manhã em Ouarzazate e cheguei à Merzouga quando já estava escuro. Achei um pouco puxado, e para você que retornaria à Ouarzazate e depois à Marrakech, vale mais a pena se manter no sul do país e ficar em M'Hamid ou Zagora.

O dia 17/2 você passaria em M'Hamid, conhecendo o deserto ou fazendo algum passeio pela manhã. E no meio da tarde você partiria para um tour no deserto, com uma noite nas dunas - que é uma experiência incrível e imperdível. Eu fiz isso em Merzouga, e dizem que em M'Hamid é tão bonito quanto. 

No dia seguinte (18/2), você deve voltar bem cedo pela manhã para o hotel, para tomar o café da manhã. Se você partir logo depois do café, consegue chegar à Marrakech no fim do dia (vai ser um longo dia, mas é possível). Dorme em Marrakech e no dia seguinte volta à Portugal.

Acho que assim, com esse roteiro, você consegue aproveitar bem Marrakech (2 dias e meio na cidade), passa um dia em Essaouira, conhece Ait-Benhaddou (um patrimônio da humanidade) e Ouarzazate, e ainda passa uma noite no deserto. E poupa muito tempo de estrada, que você gastaria indo até Merzouga e voltando, o que eu acho que não seria possível fazer com tão pouco tempo.

Um alternativa seria partir direto para M'Hamid no dia 15/2, ganhando assim um dia no roteiro, que poderia ser usado em Marrakech na volta do deserto.

De uma forma geral, dirigir nas estradas do Marrocos foi bem tranqüilo, bem melhor do que eu esperava. As estradas são boas, não existem pedágios, e no interior do país não havia muito trânsito. Então eu conseguia ir bem rápido, poupando tempo. Parei para tirar fotos várias vezes sem problemas. Mas nos pontos mais turísticos (como Ait Benhaddou) sempre tem algumas pessoas tentando vender alguma coisa e puxando papo. Só fique esperto com essas pessoas simpáticas, porque no final sempre vão te oferecer alguma coisa. E normalmente por um preço absurdo. Por mais que você pechinche, sempre vai pagar caro! Tome cuidado, mas também não há necessidade de ser paranóico.

Em Marrakech, por outro lado, o trânsito é um caos. Então, apenas fique atento quando for dirigir dentro da cidade, e procure pegar a estrada o mais rapidamente possível Ouarzazate é uma cidade pequena, e o trânsito lá é tranqüilo.

Os hotéis no Marrocos em geral são bons, e até mesmo em Merzouga eu consegui um Riad bem legal, chamado Riad Mamouche. Sobre M'Hamid eu não posso te confirmar com certeza, mas acredito que seja do mesmo nível de Merzouga. Não deixe de procurar no Tripadvisor e organizar os hotéis com antecedência. Em Ouarzazate eu fiquei hospedado no Mercure, e foi muito bom. E em Marrakech eu fiquei em um Riad excelente chamado Riad Andalla. Todos esses hotéis tem sites e é possível reservar pelo internet, que foi o que eu fiz.

Não esqueça também de reservar o seu carro pela internet, antes de sair do Brasil. Assim, você consegue alugar o carro por um preço bem menor. Eu aluguei por um site chamado Economy Car Rentals, e o preço foi 29 euros por dia, para um aluguel de 7 dias.

Mas não há motivo para se preocupar. Feche o roteiro da viagem, reserve os hotéis e o carro e depois é só aproveitar! Apesar de algumas dificuldades com os vendedores insistentes que enchem um pouco o saco, a viagem para o Marrocos foi tranqüila e nunca me senti em perigo de ser assaltado, ou nada do tipo. O importante é sempre pesquisar e muito e sair daqui com tudo planejado.

Qualquer outra dúvida que você tiver, é só me escrever! Abraços, Luiz.


terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Foto da Semana – Goreme, Turquia


O passeio de balão pelos céus da Capadócia foi um dos pontos altos da minha viagem à Turquia – e uma das melhores experiências que tive em todas as minhas viagens.  Sem nenhum tipo de planejamento prévio, contratei o passeio em uma agência de viagem local, um dia antes da data do vôo. Voei por uma companhia chamada Atmosfer Balloons, e o passeio de pouco mais de uma hora custou 130 euros por pessoa. O vôo foi excelente, em um balão não muito grande, com aproximadamente 10 ou 12 pessoas. Se você for à Turquia, não deixe de aproveitar essa oportunidade única – e incrivelmente linda.




A cada semana postarei uma foto de minha autoria, de alguma de minhas viagens. Além de me ajudar a relembrar antigos destinos (e me fazer sonhar com um possível retorno), vai me permitir compartilhar com vocês alguns dos lugares mais incríveis que pude visitar. Se você já conhece esse local e tem algum comentário ou dica, não deixe de escrever!



segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

Perguntas e Respostas: Europa em agosto


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Eu e minha esposa estamos querendo fazer nossa primeira viagem internacional agora em 2013 e decidimos que vamos para a Europa. Tínhamos decidido que iríamos ter um filho em 2013, porém, decidimos adiar para poder fazer essa viagem. Senão não faríamos tão cedo. Inicialmente a idéia seria ir no mês de agosto. Seria a melhor época para a gente, pois, eu estaria completando mais um ano de empresa e para ela não apertaria no serviço no final do ano. Porém, li em vários blogs que esse é o mês da alta temporada e pode fazer muito calor. Além disso, tudo fica mais caro (hospedagem, visitas, passeios, comida) e as filas são ENORMES. Isso tudo é verdade? Realmente não vale a pena? Se mudarmos para outubro, seria melhor? O roteiro que montamos seria: Londres, Paris, Ibiza e Barcelona. Vamos para em Ibiza porque a minha cunhada mora lá, então vamos aproveitar a viagem para visitá-la. Como somos "marinheiros de primeira viagem", não custa nada perguntar. Muito obrigado desde já! Douglas.

Douglas, realmente o mês de agosto é um mês de alta temporada, e as principais cidades turísticas ficam bem cheias, principalmente as cidades de praia, para onde os europeus fogem quando saem de férias (e para onde fogem do calor também). Em algumas cidades, como Roma e Barcelona, por exemplo, ficam muito quentes nesse período, beirando os 40 graus (surpreendentemente). Acho que você vai sentir essa alta temporada principalmente em Ibiza e Barcelona, que devem estar bombando!

Outubro é um período bem mais tranqüilo para se viajar. É um mês mais vazio (ou menos cheio) e com temperaturas mais amenas (mas pode ser que esteja um pouco frio para aproveitar as praias em Ibiza).

Eu, particularmente, preferiria viajar em outubro, se tivesse essa opção. Mas isso não quer dizer que vocês devam adiar as férias, se o mês de agosto for mais prático para vocês. Só leve em consideração a alta temporada quando for reservar os hotéis (faça com o máximo de antecedência possível) e planejar o seu roteiro. 

Se você quiser badalação, não deixe de ir a Barcelona e Ibiza, que vão estar lotadas e muito animadas nessa época. Se preferir alguma calma e tranqüilidade, pense em algumas cidades menores e menos turísticas. E, assim, você vai conseguir planejar umas férias de acordo com o seu gosto, em qualquer época do ano! Abraços, Luiz.


sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Vai viajar em fevereiro? Veja para onde ir e para onde não ir.


Fevereiro não é um mês dos mais fáceis para se viajar. No hemisfério norte, ainda está bastante frio para se aventurar por aí. E em outros lugares, ainda é alta temporada, e os preços podem estar um pouco mais altos do que o normal. Isso sem falar no carnaval, que eleva os preços de praticamente todas as passagens aéreas. Mas, com alguma pesquisa é possível encontrar bons destinos para esse época do ano. Veja abaixo para onde ir e para onde não ir em fevereiro.

1 – Vietnam

A temperatura no Vietnã é agradável nessa época do ano, principalmente no norte do país. Essa é uma ótima notícia para quem deseja conhecer a região de Sapa e as suas lindas montanhas, campos de arroz e seus habitantes exóticos e interessantes. Ou então para quem quer passear num dos tradicionais barcos de Halong Bay. Aproveite que as chuvas são bastante raras nessa época do ano e vá visitar esse país incrível (eu fui e recomendo!)




2 – Costa Rica

As florestas tropicais do Parque Nacional Corcovado são o sonho de qualquer pessoa apaixonada por trilhas e caminhadas. O mês de fevereiro é o mês mais seco na Costa Rica e, portanto, a melhor época para se descobrir esse que é o considerado o principal país da América Central para a prática do ecoturismo.




3 – Rajastão, Índia

Essa é a Índia dos marajás, dos fortes e dos palácios. Essa é a Índia que desperta os mais loucos sonhos e atiça a curiosidade de praticamente todos os viajantes. Aproveite que a temperatura nessa época do ano gira em torno de vinte e cinco graus centígrados e não perca essa oportunidade - eu não perderia!







4 – Suíça

Nessa época, as estações de esqui já começam a ficar menos cheias e a alta temporada começa a dar sinais de que está terminando. Mas as pistas ainda têm muito a oferecer aos turistas e há muita neve para entreter qualquer viajante. Vá agora, porque em março ou abril, pode ser tarde demais.







5 – Nova Zelândia

Fique boquiaberto ao testemunhar a beleza do Nelson Lakes National Park, onde dois lagos glaciais cercados por lindas montanhas garantem um dos mais bonitos cenários do mundo. O clima desse final de verão torna tudo ainda mais bonito.








Por outro lado, é melhor evitar uma viagem para...

Norte da Austrália

A não ser que você seja um fanático por ciclones, acho que é uma boa idéia ficar longe da região norte da Austrália. Por lá, é a temporada de furações e dizem que venta muito nessa época do ano!


quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Perguntas e Respostas: Como ir do aeroporto para o centro de Hanói, usando o ônibus da Vietnam Airlines.


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Olá Luiz Fernando! Tudo bem? Seu blog foi muito útil para obtermos o visto para o Vietnam! Estamos pensando em pegar o ônibus da Vietnam Airlines do aeroporto para o centro da cidade. Buscamos no site da empresa alguma informação, mas não encontramos. Você tem o itinerário desse ônibus ou sabe onde podemos encontrar? Nosso hotel é o Rising Dragon Legend Hotel, fica em 55 Hang Be Street, Hoan Kiem, Hanoi. Obrigado! Gustavo e Nathalia.

Olá, tudo bem? Que bom que meu blog foi útil no seu planejamento! Mas eu só estou compartilhando as informações que me passaram quando eu estava planejando as minhas férias... Afinal, ser mochileiro também é ajudar os outros viajantes, não é?

Eu também peguei esse ônibus quando cheguei a Hanói. Foi super útil e prático, além de muito mais barato do que um táxi. A passagem custa dois dólares por pessoa (aproximadamente VND 40,000) e o ônibus te deixa no escritório da Vietnam Airlines no centro da cidade. O endereço é 1 Quang Trung. O local está marcado no mapa do Lonely Planet, se você for levar esse guia com você (o que eu recomendo).

A partir dali é possível ir caminhando para o seu hotel, se ele ficar no centro histórico da cidade. O meu hotel ficava a aproximadamente 800m da parada do ônibus e a caminhada foi tranqüila, apesar de um pouco confusa pela falta de sinalização nas ruas. O mapa do Lonely Planet também me ajudou muito. Tente localizar o endereço do seu hotel no Google Maps e ver a distância desde o local de parada do ônibus. Se não for muito longe, vale a pena caminhar.

Ah, mas tome cuidado com as pessoas que tentarão te enganar na chegada ao aeroporto, tentando te levar para táxis, carros ou mesmo outros ônibus, que cobram mais - inclusive dizendo que eles são os ônibus oficiais da Vietnam Airlines! E é realmente difícil reconhecer qual é o ônibus (ou micro-ônibus certo), afinal todos são meio velhos e mal cuidados. Pergunte sempre o preço antes de embarcar e só pague a tarifa normal.

E também evite os motoristas de táxi que ficam parados no ponto final do ônibus, já que eles estão ali provavelmente para se aproveitar de turistas perdidos e recém-chegados (o que é exatamente o nosso caso!). O próprio motorista do ônibus da Vietnam Airlines vai tentar te levar para algum outro hotel, dizendo que o seu está fechado, em obras ou usando qualquer outra desculpa. Apenas ignore todo mundo e vá caminhando para o seu hotel, se a distância permitir.

Bom, é isso aí! Hanói é uma cidade super interessante e fácil de conhecer, já que as atrações estão todas próximas. E é também um excelente ponto de partida para se fazer um tour por Halong Bay e pela região de Sapa. Eu fiz esses dois tours e recomendo bastante! Espero ter ajudado um pouco no seu planejamento e, qualquer outra coisa, é só escrever! Abraços, Luiz.


quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

Livraria Cultura no centro do Rio: uma ótima pedida para os cariocas que curtem um bom livro de viagens!


Para os cariocas que ainda não sabem da novidade, fica uma ótima dica: não deixe de visitar a nova filial da Livraria Cultura, que abriu recentemente no centro do Rio. A loja fica no local onde antigamente funcionava o Cine Vitória, e que nos últimos anos tinha se transformado num edifício abandonado, sujo e degradado, num dos melhores pontos do centro da cidade.

Essa é a segunda filial da Livraria Cultura na cidade (a outra fica no Shopping Fashion Mall), mas é muito maior e muito melhor do que a primeira. São 3.300 metros quadrados, espalhados por quatro andares de livros, revistas, CDs, DVDs, jogos e muito mais, além de um café, um espaço gourmet e até um teatro.

Mas o que mais gostei nessa livraria foi o setor de livros de viagens. Além de uma boa coleção de guias de viagem (incluindo muitas versões dos guias Lonely Planet, inclusive em português), há uma prateleira exclusiva para “relatos de viagens”, o que é uma novidade nas livrarias cariocas. Na minha primeira visita, já saí com um novo livro para a minha coleção (em breve posto a recomendação aqui no blog).

Anote o endereço: Rua Senador Dantas, 45, Centro. Você pode chegar até lá de metrô, saltando na Estação Cinelândia. Ou então pegue um dos muitos ônibus que passam pelo centro da cidade. Só não vale deixar de visitar!