quarta-feira, 18 de julho de 2012

Programas de Milhagem: respondemos às suas perguntas!


Aproveitando que estamos no mês de férias (um período em que muitos estão pensando em viajar – ou sonhando com a sua próxima viagem), publico aqui uma coletânea de perguntas sobre as milhas e os programas de milhagem. Espero que sejam úteis nos seus futuros planos e, qualquer outra dúvida, é só me escrever!


1)      Quais as vantagens de fazer parte dos programas de milhagem? 

Participar dos programas de milhagem é sempre vantajoso para os viajantes - sejam passageiros freqüentes ou mesmo aqueles que só viajam eventualmente. Por não terem custos de adesão ou manutenção, a pessoa que adere a esses programas não tem nada a perder. 

Além de acumular pontos com os próprios vôos nas companhias aéreas participantes, o viajante também pode acumular pontos com os gastos no cartão de crédito (é só conferir com o banco emissor do seu cartão, se ele oferece um programa de pontuação ou milhagem). E isso é uma grande vantagem, já que é bastante comum pagarmos altas contas no cartão de crédito ao final do mês. Utilizando o programa de pontos dos cartões de crédito, portanto, a pessoa pode transformar aquelas despesas mensais em milhas, e utilizá-las para as sonhadas férias!

2)      O que você sugere para acumular milhas mais rápido? 

O jeito mais rápido de se acumular milhas é viajando bastante - e tentando concentrar as suas viagens em uma só companhia aérea. Mas, para a maioria das pessoas (dentre as quais me incluo), viajar é um privilégio e não é possível viajar tão freqüentemente quanto gostaríamos. Sendo assim, uma alternativa é utilizar os seus gastos no cartão de crédito para ir acumulando milhas aos poucos. Muitos cartões de crédito oferecem programas de pontuação que podem ser trocados por milhagem em diversos programas (como o Smiles, TAM Fidelidade, etc). Vale a pena, então, concentrar os seus gastos mensais e corriqueiros no seu cartão de crédito e ganhar pontos com isso. Só não vale perder o controle das suas despesas por causa disso. Fique atento ao valor das faturas e nunca gaste mais do que você pode pagar no final do mês! 

Uma dica legal é usar o seu cartão de crédito para pagar pela passagem aérea, quando você for viajar. Assim, você ganha duas vezes: acumula milhagem ao viajar e ainda ganha os pontos do cartão de crédito!

Ah, e fique atento ao prazo de vencimento das suas milhas! Não há pior do que ver as suas suadas milhas indo embora por um descuido. Mesmo que você não tenha acumulado milhas o bastante para emitir um bilhete, utilize as milhas que vão expirar em breve para obter descontos em passagens aéreas. Afinal, qualquer economia é bem vinda!

3)      Quais cuidados devem ser tomados na hora de trocar as milhas pelas passagens? Você recomenda fazer isso com quanta antecedência? 

Às vezes, mesmo quando conseguimos acumular milhas o suficiente para a emissão de um bilhete aéreo, não conseguimos fazê-lo devido à indisponibilidade de assentos. Portanto, é importante procurar emitir o bilhete com milhas o mais brevemente possível. Mas existem limitações em alguns programas. A TAM, por exemplo, só permite a emissão de bilhetes com no máximo três meses de antecedência. Portanto, fique atento às datas e emita o bilhete assim que possível - garantindo logo o seu lugar e evitando surpresas desagradáveis.

De qualquer forma, é sempre bom ficar atento às promoções, principalmente para aqueles que possuem flexibilidade de datas para viajar. Quando se menos espera, surge alguma ótima oportunidade de viajar com poucas milhas!

4)      Voce pode vender as milhas? Você recomenda isso? 

Apesar da negociação de milhas não ser permitida pelos programas de milhagem tradicionais, é bastante comum encontrar sites especializados na compra e venda de milhas da TAM, Gol/Varig (Smiles) e outras companhias aéreas. Por ser uma operação irregular, existe sempre o risco de alguma coisa dar errado - e você não poderá reclamar com ninguém. Por outro lado, alguns desses sites já estão no ar há bastante tempo, negociando com um grande número de pessoas diariamente. Portanto, pese os riscos e os benefícios e decida se vale a pena arriscar!

5)      Em média, quanto você economiza por viagem que você faz com milhagem? 

Acho que a economia com o uso das milhas é sempre considerável, já que você evita o principal gasto de uma viagem, que é o bilhete aéreo - principalmente nas viagens longas ao exterior. 

Mas uma dica importante é sempre usar as suas milhas nos trechos cujos bilhetes costumam ser mais caros. Por exemplo, com 30.000 milhas da TAM Fidelidade, você pode comprar um bilhete de ida e volta para qualquer destino na América do Sul. Vale mais a pena usar essas 30.000 milhas em um vôo para Bogotá, que custa em torno de R$1.500,00, a usar essas mesmas milhas para um vôo com destino à Buenos Aires, que pode ser encontrado por R$500,00 ou até menos.


terça-feira, 17 de julho de 2012

Foto da Semana – Okondeka Waterhole, Namíbia


Girafas e gazelas se aglomeram em locais onde existe água em abundância, atraindo não apenas concorrência, mas também predadores.




Para mais fotos como essa, acesse o site da National Geographic

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Frase da Semana


“To travel is to discover that everyone is wrong about other countries.”

Aldous Huxley (1894 – 1963), escritor inglês

quarta-feira, 11 de julho de 2012

Perguntas e Respostas: Avistando animais no Kruger


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Luiz, obrigada pela resposta. Só mais uma dúvida (estou muito ansiosa com a viagem): tem como você me dar uma dica pra ver os bichos? Estou morrendo de medo de não ver nenhum! Tipo, algum lugar certo para encontrar bichos, melhores horários, a estrada mais famosa ou mais popular que bichos ficam? Ou qualquer coisa q você ache importante me falar. No Kruger vamos ficar três dias, nos acampamentos Satara e Lower Sabie. Vamos torcer para encontrar os Big Five! Você acredita que estou preparada psicologicamente para não ver muitos bichos? Todo mundo fala que essa probabilidade existe, então não quero me iludir. Dizem que o safári mais exuberante é o de outra região do continente africano. Alguns dizem Namíbia. Você já foi? Depois que comecei a pesquisar sobre essa viagem eu vi que tem outros países que os safáris são mais cheios de animais. Elizabeth.

Não se preocupe em não ver muitos bichos! Mas é realmente importante você lembrar que o Kruger não é um zoológico, então os animais não ficam dispostos só para os turistas. Mas mesmo assim, existem muitos animais para se avistar. É fácil ver antílopes, zebras, gnus, elefantes, etc. Outros são um pouco mais difíceis de ver, como búfalos, hienas e leões. E outros, bens difíceis, como leopardos, cheetas e outros felinos. Mas, no final, você com certeza verá vários animais - só não há garantia de se ver todos os Big Five. Eu, por exemplo, não vi nenhum leopardo. Fica pra próxima, né!

A melhor hora para se ver os bichos é bem cedo pela manhã. Os portões abrem às 5 da manhã, e já fica um fila de carros esperando os portões se abrirem. É fundamental você aproveitar e sair assim que for possível, já que essa é a hora que os animais estão mais ativos. Ao longo do dia a temperatura vai subindo e os animais vão se recolhendo para as sombras, e se torna mais difícil avistá-los. Essa é então uma boa hora de parar para descansar e comer alguma coisa. No final do dia, com a temperatura caindo novamente, os animais tornam a sair, e já vale a pena voltar a dirigir até a hora de fechamento dos portões - aproximadamente cinco ou seis da tarde.

Uma boa idéia é fazer um dos passeios guiados dos campos - tanto pela manhã quando à tarde ou à noite. Os veículos são altos e os guias bem experientes. Então fica mais fácil avistar algum animal escondido ou camuflado.

Seguindo essas dicas, acho que você conseguirá ver vários tipos de animais - e os que você não conseguir ver nessa primeira viagem vão servir de motivação para a próxima aventura!

Eu nunca visitei as outras regiões de safári, como a Namíbia ou Botsuana. Mas eu acho que a grande vantagem da África do Sul é que lá você pode dirigir o seu próprio veículo, sem a necessidade de guias ou passeios em grupo. Acho que essa sensação de liberdade é muito legal, e torna a experiência no Kruger bastante única!

Bom, continue pesquisando e estudando tudo sobre a África do Sul e, qualquer outra pergunta, é só escrever!


terça-feira, 10 de julho de 2012

Perguntas e Respostas: Alimentação no Kruger


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Estou indo para a África do Sul. Primeiro irei passar um dia em Graskop, depois três dias no Kruger, depois quatro Cidade do Cabo e, no final, um dia em Johanesburgo. Estou tão ansiosa que estou pensando em levar do Brasil muitos biscoitos e comidas que não precisam de geladeira. Dizem que Graskop é muito pequena e por isso pode ter poucos mercados e falta de comida. Pensei no café da manhã e no almoço dentro do Kruger. Se passarmos o dia todo no mato procurando os animais, como faremos pra comer? Elizabeth.

Oi Elizabeth, tudo bem? Não se preocupe tanto assim com a comida. Mesmo dentro do Kruger, você vai encontrar pequenos supermercados dentro dos campos e também restaurantes (cada campo tem umas duas ou três opções de restaurantes) e mesmo fora dos campos existem alguns lugares para se comer. Eu começava o dia bem cedo, lá pelas cinco horas da manhã, e dirigia até às dez horas, quando os animais começavam a desaparecer por causa do calor. Aí parava em algum dos restaurantes e tomava café reforçado (tinha até torta de búfalo!). Quando os portões fechavam, após as 17h, eu fazia um almoço/jantar em algum dos restaurantes. Os preços não eram dos mais baratos, mas também não eram caros.

Graskop realmente é uma cidade pequena, mas é bem turística e cheia de ótimos restaurantes. Eu comi muito bem por lá. Mas não procurei supermercados, já que passei em Graskop após os dias de safári no Kruger.

Continue pesquisando e, qualquer dúvida, é só perguntar!

(Acima, uma foto de um dos restaurantes no campo Lower Sabie)

segunda-feira, 9 de julho de 2012

Cruzando Fronteiras é 50.000!


Nesse fim de semana conquistamos a importante marca de 50.000 visitas! Com o número de visitantes crescendo a cada dia, só tenho a agradecer a todos que sempre visitam o Cruzando Fronteiras e também quero parabenizar vocês que ajudam a fazer esse blog, enviando e-mail com perguntas, dicas, etc..

Obrigado e vamos juntos à visita número 100.000!




domingo, 8 de julho de 2012

Foto da Semana – Playa Flamenco, Cuba


A costa norte de Cuba possui algumas das praias mais espetaculares, espalhadas por centenas de pequenas ilhas chamadas cayos. Esta doca está localizada na Playa Flamenco, em Cayo Coco. A água no local é bastante rasa, e o visitante pode andar tranquilamente até 200 metros mar adentro.



Para mais fotos como essa, acesse o site da National Geographic



sábado, 7 de julho de 2012

Aconteceu no mundo: Uruguai liquida companhia aérea Pluna, que suspenderá os vôos


Fonte: O Globo
MONTEVIDÉU — O governo uruguaio decidiu nesta quinta-feira liquidar a companhia aérea Pluna, que anunciou a suspensão de todos os seus voos por conta dos sérios problemas financeiros que a empresa enfrenta. De acordo com uma fonte do governo uruguaio, a Pluna, que tem uma frota de 13 aviões Bombardier CRJ900 Nextgen que conecta Montevidéu a cidades de Argentina, Brasil e Chile, suspenderá seus voos na sexta-feira ao meio-dia, no horário de Brasília.

— A situação econômico-financeira da empresa torna impossível garantir uma operação adequada — indicou a companhia por meio de um comunicado, no qual esclareceu que a suspensão dos voos é de "indefinidamente."

O Estado uruguaio é o único administrador da Pluna desde meados de junho, quando o fundo de investimento que detinha 75% da companhia abandonou sua participação após se negar a capitalizá-la. Uma agência estatal controlava a fatia de 25% restante.

— A empresa era insolvente e sua situação atual está muito comprometida. Não se pode financiar a operação, não há liquidez, e nesta situação (a companhia aérea) não pode continuar voando — disse à Reuters a fonte do Poder Executivo sob condição de anonimato.

Está previsto que o Conselho de Ministros elabore na segunda-feira um projeto de lei que contemple um chamado aos interessados para criar uma nova companhia aérea com participação estatal, uma proposta que conta com o aval do presidente do Uruguai, José Mujica. O governo uruguaio buscou um sócio para injetar fundos na problemática companhia aérea, mas seus esforços fracassaram. A petroleira estatal Ancap ameaçou várias vezes cortar o abastecimento de combustível à empresa por falta de pagamento.

O plano do governo uruguaio era tentar fechar um acordo com a empresa canadense JazzAir, que segundo a imprensa uruguaia já teria desistido da negociação, ou com o empresário Juan Carlos López Mena, dono da pequena companhia aérea Buquebus (BQB), mas que detém o controle. Se isso não for possível, o governo pretende recuperar parte do dinheiro investido na empresa vendendo seus ativos, como os aviões.

Questionado pelo semanário Búsqueda sobre qual seria o destino da companhia aérea, o presidente uruguaio José Mujica se limitou a dizer:

— O presidente não é partidário de continuar perdendo dinheiro.

A Pluna registrou prejuízo de mais de US$ 100 milhões entre 2007 e 2012 por conta da queda de demanda de passagens, consequência da desaceleração das economias da região, o alto preço de combustível e problemas de tráfego aéreo.

— Não temos como continuar voando... Não há norma que permita ao governo colocar dinheiro dentro da empresa. A única maneira era com a capitalização do privado e o Estado colocando a sua parte — disse a fonte do governo.

A Pluna ainda não definiu como irá ressarcir os passageiros afetados pela suspensão dos voos. O sindicato dos funcionários da companhia fez uma paralisação na quarta-feira e quinta-feira em defesa dos empregos, o que obrigou o cancelamento de 60 voos.


*             *             *


Comentários: é uma notícia triste e preocupante para todos aqueles que amam viajar. A falência da Pluna representa menos uma opção de voos pela América do Sul, principalmente para o Uruguai e a Argentina, onde essa companhia costumava oferecer os melhores preços e boas promoções.  Com o péssimo serviço oferecido pela Aerolíneas Argentina, estamos cada vez mais restritos às ofertas da GOL e da TAM (agora unida à LAN). Infelizmente.


sexta-feira, 6 de julho de 2012

As Sete Maravilhas da China


Durante séculos, a China resistiu a inúmeras guerras e disputas políticas para se tornar a potência global dos dias de hoje. Com uma população de 1,3 bilhões e 55 grupos étnicos compartilhando as mesmas fronteiras, a China é um caldeirão de culturas, mitos e lendas. De obras de arte fantásticas a tumbas cercadas de mistério, segue abaixo as sete principais maravilhas, dentre as incontáveis atrações desse país.


Guerreiros de Terracota, Xi’An (Província de Shaanxi)

Em 1974, enquanto cavavam um poço na cidade de Xi’An, fazendeiros chineses descobriram uma tumba guardada por 8.000 estátuas de antigos guerreiros chineses. Construídos em torno do ano de 220 A.C., esses guerreiros protegiam a tumba do Imperador Qim. De acordo com a tradição chinesa, a morte é simplesmente a continuação da vida e as pessoas podem levar consigo os bens que possuíam em vida. Porém, o Emperador Qim levou essa crença mais além (e um pouco longe demais), construindo um mausoléu de 90 quilômetros quadrados.  Apesar de grande descoberta de 1974, os arqueólogos ainda tentam localizar a entrada da tumba, que os historiadores acreditam conter riquezas monumentais.

O Monastério Suspenso, Monte Hengshan (Província de Shanxi)

Localizado aos pés do Monte Hengshan, na parede ocidental do desfiladeiro de Jinxia, o Monastério Suspenso (Hanging Monastery) tem encantado visitantes por mais de 1.400 anos. O templo sagrado está localizado em uma altura equivalente a um edifício de quinze andares, incrustado na rocha. Resistindo às mais severas condições climáticas (incluindo um destruidor terremoto, em 1303), o templo se mantém intacto devido à genialidade de sua arquitetura milenar.


A Grande Muralha da China

A mais icônica das atrações chinesa certamente é a Grande Muralha. Estendendo-se magnificamente por mais de 21.000 quilômetros (!!), ela certamente faz jus à sua fama. A construção da Grande Muralha começou por volta de 220 A.C. e continuou até a Dinastia Qing, com o objetivo de proteger o império chinês dos invasores do norte. Com o passar dos anos, a muralha foi expandida e foram construídas novas torres, tornando-a mais eficiente e ainda mais grandiosa. Nos dias de hoje, a Grande Muralha da China é a principal atração turística do país.

Buda de Leshan (Província de Sichuan)

A estátua de Buda localizada nas redondezas da cidade de Leshan é a maior do mundo. Com 71 metros de altura e mais de 27 de largura, foi esculpida por monges budistas há mais de mil anos, em um trabalho que demorou 90 anos para ser concluído. De acordo com as lendas locais, as águas do rio que cerca a cidade eram turbulentas e traiçoeiras, tendo ceifado muitas vidas ao longo dos anos. Após a construção da estátua (numa tentativa de agradar à divindade), as águas de acalmaram e a cidade pode crescer com mais tranqüilidade.

Monte Wudang (Província de Hubei)

As encostas do Monte Wudang são adornadas por magníficos templos, palácios e pontes – todos construídos em harmonia com a natureza do local. O Monte Wudang também é conhecido pelas artes marciais. Tanto o Tai Chi quanto o Wudang Kung Fu surgiram nesse local. Com tanta beleza e tanta história, não é à toa que milhares de visitantes percorrem suas trilhas todos os anos.



Templo de Shi Bao Zhai, margem sul do Rio Yangtze

Localizado na margem sul do poderoso Rio Yangtze, o Templo de Shi Bao Zhai possui 12 andares e foi construído todo em madeira, sem a utilização de nenhum prego. Como o templo conseguiu resistir todo esse tempo às mais duras condições climáticas? O segredo está nas suas janelas, que permitem a passagem do vento durante tempestades inclementes.



Cidade Proibida, Pequim

A Cidade Proibida, localizada na capital chinesa, é o maior dentre os antigos palácios do mundo. Por mais de 500 anos, ele representou o poder político chinês, se estendendo por mais de 650.000 metros quadrados, e contendo quase 10.000 cômodos. A Cidade Proibida foi construída para representar o palácio de Deus no paraíso e, antes do século XX, o público não podia cruzar as suas muralhas (qualquer tentativa era punida com a morte por decapitação). Atualmente, milhões de turistas vasculham o interior da Cidade impunemente.

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Frase da Semana


“I haven’t been everywhere, but it’s on my list.”

Susan Sontag (1933 – 2004), escritora e ativista norte-americana.


quarta-feira, 4 de julho de 2012

Aconteceu no mundo: Extremistas islâmicos destroem mausoléu em Timbuktu


Fonte: O Globo 

BAMAKO - O grupo extremista islâmico Ansar al-Dine, ligado à rede terrorista al-Qaeda, destruiu, neste sábado, o mausoléu em homenagem ao sufista Sidi Mahmoud e outros marcos históricos na cidade de Timbuktu, considerada patrimônio cultural universal. O ataque aconteceu poucos dias depois de a UNESCO ter colocado a região em sua lista de patrimônios em perigo.

O Ansar al-Dine quer a imposição da Sharia (a lei islâmica), e considera os santuários uma forma de idolatria, o que seria não seria permitido. No ano passado, mausoléus sufistas também foram atacados por salafistas radicais no Egito e na Líbia.

— Eles disseram que, ao longo do dia, iriam destruir todos os 16 mausoléus da cidade — disse o jornalista local Yeya Tandina, por telefone, referindo-se aos mais valiosos santuários de Timbuktu. — Eles estão armados e cercaram os locais com caminhões. A população está apenas olhando, impotente — acrescentou.

Ansar al-Dine conquistou a supremacia no norte de Mali junto com os bem menos armados rebeldes tuaregues - chamados de “os homens azuis, por suas vestes”. Os dois grupos separatistas se uniram para derrubar as tropas do governo e tomaram o controle, em abril, de dois terços do norte de Mali. Mas logo entraram em conflito.

— O mausoléu não existe mais, e o cemitério está tão vazio quanto um campo de futebol — disse a professora Abdoulaye Boulahi sobre o local de sepultamento de Mahmoud. — Há cerca de 30 deles quebrando tudo com picaretas e enxadas. Eles estavam com as armas em punho, apontadas para baixo. São cenas muito chocantes para as pessoas em Timbuktu.

Um membro do Parlamento local, Sandy Haidara, também confirmou que os ataques estavam ocorrendo:

— Parece que é uma reação direta à decisão da UNESCO.

Localizado em uma rota de comércio antiga subsaariana, Timbuktu foi um importante entreposto comercial e foi lar de sacerdotes, escribas e juristas. Nos últimos anos, Mali procurou criar uma indústria na região, mas, mesmo antes da rebelião de abril, muitos turistas já estavam sendo desencorajados a visitar o lugar devido a uma série de seqüestros de ocidentais que vinha acontecendo na região reivindicada pelos grupos islâmicos ligados à al-Qaeda.

Vizinhos do Mali estão buscando o apoio da ONU para uma intervenção militar para estabilizar o país, mas os membros do Conselho de Segurança dizem que precisam de mais detalhes sobre a missão que está sendo planejada.


*             *             *

Comentário: uma perda irrecuperável para a humanidade e mais um exemplo de um fanatismo religioso que destrói, segrega e mata. O turismo na África, já bastante precário e sofrido, recebe mais um golpe - um que dificilmente poderá ser remediado.


terça-feira, 3 de julho de 2012

Perguntas e Respostas: Kruger – Transporte entre os campos


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Opa, Luiz beleza? Estou programando minha viagem para a África do Sul e irei incluir o Kruger. A idéia é ir de avião da Cidade do Cabo até Nelspruit e de lá alugar um carro e ir para o parque. Os campos pra ficar serão Skukuza, Lower Sabie e Satara. Eu sou adepto do self-drive, até fiz algumas expedições de carro pelo Brasil e América do Sul. Entretanto, minha namorada está resistente a essa idéia, com muito medo. Logo gostaria de saber se existe algum tipo de transporte de um campo para outro no Kruger, e como ele funciona. Já procurei no site da Sanspark, nos fóruns e não encontro nada além dos Game Drives. Abraços! Lucas.

Lucas, tudo certo? Realmente, não existe um transporte organizado entre os campos, do estilo que a sua namorada deseja. Mas não se preocupe. Dirigir por conta própria no Kruger é muito fácil. Mais fácil do que muita gente imagina. As principais estradas são asfaltadas e as demais estão em ótimas condições. Eu visitei o parque em um carro popular 1.0 e não tive nenhuma dificuldade, muito pelo contrário. Passava o dia dirigindo e procurando os animais, parando de vez em quando para descansar em algum dos restaurantes ou pontos de parada dentro do parque. Na entrada do Kruger você ganha um mapa para de orientar, e as estradas são bastante sinalizadas. Não tem como se perder!

Se vocês realmente não quiserem dirigir (o que seria uma pena), a única alternativa seria ficar hospedado fora do parque, em algum hotel ou parque privado, e contratar passeios de jeep para dentro do Kruger. É uma alternativa, mas no final provavelmente sairá bem mais caro (e você perderá a liberdade de dirigir para onde quiser, quando quiser, etc.).

Mas converse com a sua namorada e tente convencê-la de que não tem problema nenhuma explorar o Kruger por conta própria. E, qualquer coisa, é só escrever!

Ah, veja no quadro acima, as distâncias entre os campos e portões (em quilômetros). Pode ser útil no seu planejamento!

segunda-feira, 2 de julho de 2012

Vai viajar em agosto? Veja para onde ir e para onde não ir

Agosto ainda não é um mês muito fácil para viajar. O verão segue firme no hemisfério norte, com temperaturas bastante elevadas em alguns países e regiões. O norte da África permanece envolto numa onda de calor que só se dissipará em outubro, ou fins de setembro. As praias do Mediterrâneo ainda estão lotadas de turistas em busca de refresco contra o forte calor europeu. Mas, mesmo assim, ainda é possível achar algumas boas opções para quem possui alguns dias de férias no nesse mês que se aproxima.

Veja abaixo algumas dicas de lugares para ir nesse mês de agosto, e outros onde é melhor deixar para depois.

1 – África do Sul

A África do Sul pode ser visitada confortavelmente em qualquer época do ano. Porém, os meses de inverno (de junho a setembro) possuem temperaturas mais amenas e dias mais secos. É um clima ideal para atividades ao ar livre, como trilhas, caminhadas e os famosos safáris. Além disso, com o clima seco nos Parques Nacionais, os animais tendem a se concentrar ao redor dos reservatórios de água e a vegetação fica menos densa, o que aumenta muito a chance de localizá-los durante os safáris. Com certeza, uma experiência inesquecível!

2 – Venezuela

Devido à proximidade com a Linha do Equador, as temperaturas médias não variam muito durante o ano. O que diferencia uma estação das outras são as chuvas, menos freqüentes de novembro a maio. Os meses chuvosos, entretanto, são uma ótima época para se visitar algumas atrações, como o famoso Salto Angel, que fica espetacular após as fortes chuvas desta estação. Na verdade, durante a época de seca, Salto Angel pode até se tornar inacessível de barco, devido à seca dos rios da região. Então, não perca essa oportunidade e vá conhecer agora esse local incrível!

3 – Papua Nova Guiné

O clima na Papua Nova Guiné é um dos mais variáveis do planeta, o que pode confundir até o mais experiente dos viajantes. O mês de agosto geralmente não é muito chuvoso, e a temperatura não é tão quente, apesar da alta umidade. De qualquer forma, o mês de agosto é um bom mês para visitar a Ilha. Tente agendar sua visita juntamente com algum dos memoráveis festivais que geralmente ocorrem entre julho e outubro.




4 – Quênia

A migração anual dos Gnus pelo Serengeti é uma cena mundialmente famosa, vista e revista constantemente nos documentários da televisão. No mês de agosto, este fenômeno vai estar no seu auge, e sempre acompanhado pela multidão de crocodilos famintos, aguardando os animais atravessarem os rios da região. Certamente se trata de um dos espetáculos mais impressionantes da natureza e deve estar na lista dos destinos favoritos de qualquer amante da vida selvagem.



5 – Equador

O Equador é um destino para o ano todo. Cada uma das suas regiões (os Andes, a costa do Pacífico, o oriente e as Ilhas Galápagos) possui uma melhor época para ser visitada. Na parte alta do país, os meses de junho a setembro representam a temporada de seca. Na parte baixa, esses são os meses das chuvas. Nas famosas ilhas Galápagos, entretanto, todos os meses são excelentes oportunidades para conhecer a diversidade da vida local.








É melhor deixar para visitar esses locais em outra época:

1 – Mediterrâneo

Calma! Eu sei que a vontade de conhecer as famosas praias do Mediterrâneo é enorme, mas ainda não é a melhor época para conhecer essa região. O calor na Europa segue firme e as praias em toda a costa sul do continente estão tomadas por turistas. Os preços estão lá no alto, e os encantos diminuídos pela multidão que toma as belas cidades litorâneas.

2 – Cuba

De junho a novembro, é temporada de furacões em Cuba, e isso atrapalha qualquer plano para visitar a ilha. Deixe para fazer isso entre dezembro e março, a melhor temporada para turismo não apenas em Cuba, mas em quase todo o Caribe, igualmente afetado pela temporada de furacões.

3 – Sul dos EUA

Se você deseja conhecer Las Vegas, o Grand Cânion, ou qualquer outra atração no sul dos EUA no mês de agosto, é melhor pensar duas vezes. O calor da região nessa época do ano é insuportável. Deixe para depois e aproveite um clima mais agradável.


domingo, 1 de julho de 2012

Foto da Semana – Istambul, Turquia


A beleza dos movimentos e a total concentração dos dançarinos são fascinantes. Os músicos ao fundo estão igualmente comprometidos com o clima do momento. A beleza do cenário torna esse espetáculo ainda mais marcante e imperdível.


   
Para mais fotos como essa, acesse o site da National Geographic