quarta-feira, 27 de junho de 2012

Perguntas e Respostas: Sudeste Asiático, quando ir (parte 2)


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Luiz, sensacional a sua resposta! Vai me ajudar bastante! Basicamente estou trabalhando com duas frentes:  Sudeste Asiático ou Turquia e Grécia (e talvez litoral da Croácia). Pelo que você disse, talvez fosse legal começar a viagem por Vietnã e Camboja e depois ir à Tailândia. Se não me engano, Tailândia não precisa visto, mas Camboja e Vietnã sim. É fácil conseguir estes vistos aqui no Brasil? Sei que dá pra tirar por lá, mas fico pensando se não é melhor sair com tudo certo daqui pra não correr riscos. Quanto ao Laos você sabe se precisa? Tem alguma informação básica de lá?
Mais uma coisa: já andei olhando passagens para Bangkok e estão meio caras. Mas até aí, fazer o quê, ainda mais com a alta do dólar? O que me chamou a atenção foi a duração dos vôos. Demora mais que ir para a Austrália. Você tem alguma dica quanto à rota a se seguir? Por exemplo, ir até a Austrália e de lá subir ou ir para Johanesburgo e seguir de lá. Ou então ir pela Europa... E qual seria o melhor ponto de entrada: Bangkok, Puhket, Vietnã, etc.. Abração! E sigamos nos nossos planejamentos! Vinicius.

Vinicius, bom dia! O visto para o Vietnã pode ser obtido no Brasil apenas na Embaixada do Vietnã em Brasília. O prazo para emissão é de aproximadamente três dias úteis e o custo para o visto simples com duração de trinta dias é de R$ 120,00. Mas, como eu descrevi nesse post, vale muito mais a pena obter o visto na chegada ao Vietnã (visa on arrival), desde que você providencie a carta convite com antecedência, seguindo os passos descritos no post. Não precisa se preocupar, o processo é simples, rápido e bem mais barato. Mas só vale para quem entrar no país de avião, hein! Uma segunda opção seria conseguir o visto já em Bangkok, o que seria mais simples do que viajar até Brasília. Mas ainda acho que, para aqueles que vão entrar no Vietnã por via aérea, não há alternativa melhor do que o visa on arrival.

O visto para o Camboja também pode ser obtido na fronteira, sem maiores complicações ou dificuldades. Ou então se pode obter um visto eletrônico, solicitado pela internet. Você paga uma taxa, recebe o visto por e-mail, em formato PDF, imprime e cola no seu passaporte! O passo-a-passo para a obtenção do visto cambojano foi publicado nesse post. Vale a pena ler e, qualquer outra dúvida, é só perguntar! Eu consegui o meu visto na fronteira e foi muito, muito simples. Também não acho que seja motivo para preocupação.

Eu não tenho experiência com a obtenção do visto para o Laos, já que (infelizmente) não tive a oportunidade de conhecer esse país – apesar de já ouvido falar muito bem desse lugar, seu povo e suas atrações. Certamente está na minha lista para as próximas viagens! Mas, pelo que eu pesquisei na internet, o visto deve ser obtido na entrada do país, seja nos principais aeroportos ou na fronteira com a Tailândia. Não existe representação diplomática do Laos no Brasil (assim como do Camboja), então o jeito é obter o visto no momento da entrada no país, ou então solicitar o visto em Bangkok.

Em relação aos vôos, realmente é uma facada! Eu voei inicialmente para Bangkok pela KLM, com escala em Amsterdam. Foi um vôo longo e caro, que me custou aproximadamente R$ 3.500. Mas, como eu fui numa época bem cara (entre o Natal e o Ano Novo), acho que você pode encontrar algumas opções mais em conta, se pesquisar bastante e com antecedência. Procure alternativas na British Airlines, Turkish, South African ou mesmo na Emirates. E vale a pena conferir no site Matrix Airfare Search, que mencionei nesse post. É a minha principal fonte de informações sobre tarifas promocionais. A princípio acho que é melhor buscar por vôos para Bangkok, mas não custa nada conferir todas as opções disponíveis.

Mas apesar da passagem aérea ser bem cara, o custo nesses países é bem baixo, o que pode compensar no final da sua viagem. De uma forma geral, computando todos os gastos, essa minha viagem ao Sudeste Asiático saiu mais econômica do que minha viagem à África do Sul, por exemplo, já que o custo do dia-a-dia compensou a diferença nas tarifas aéreas.

Bom, e vamos planejando! Qualquer outra dúvida, é só escrever! Abraços! Luiz.


Um comentário:

  1. Show de bola! Valeu pela ajuda. Agora já está certo. Vou para o Sudeste Asiático. Chego em Hanói e volto por Bangkok. Vou começar a montar o roteiro intermediário. Abraços, Vinicius

    ResponderExcluir