terça-feira, 24 de abril de 2012

Perguntas e Respostas: De Fez ao deserto marroquino


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Olá Luiz, desculpe perturbar no seu e-mail, mas vi seus comentários sobre uma viagem que fez a Fez e vi que você sabe bem sobre o Marrocos. Eu moro na França e vou aproveitar o feriado do dia 08/05 para passar quatro dias em Fez. Tenho duas duvidas: Onde ficar (vi seus comentários sobre o Riad Andalla, e já estou procurando aqui). Vi também que você foi ao deserto de carro alugado. Ir ao deserto é uma coisa que queria muito, mas estarei sozinho e estou achando poucas opções de passeio para quem for sozinho. Um suposto guia turístico pegou o meu e-mail num fórum aqui do site Mochileiros.com e entrou em contato comigo, mas estou meio desconfiado. Você conseguiria me dar algum conselho nesses pontos? Obrigado! Abraços, Ronaldo.

Olá Ronaldo, tudo bem? O Riad Andalla, que eu mencionei em outro post, fica em Marraquexe. É uma excelente opção, mas acho que fica para uma próxima viagem, né? Em Fez, eu acabei optando por ficar fora da Medina e próximo à estação de trens. Isso acabou me ajudando ao longo do meu roteiro, já que parti de trem rumo à Casablanca. Por isso, me hospedei no Hotel Ibis. Eu achei o local muito bom, e inclusive fiz uma boa resenha no site Tripadvisor. Se quiser, é só conferir nesse link.

Mas, em uma primeira visita, eu recomendo que você fique em um Riad, dentro da Medina. É uma experiência única e uma boa oportunidade para se conhecer um pouco mais da cultura local e do estilo de vida marroquino. Eu, infelizmente, não posso te recomendar nenhum Riad na Medina de Fez, mas acho que uma busca rápida no site Tripadvisor pode te ajudar bastante! 

Para conhecer o deserto a partir de Fez, principalmente para quem viaja sozinho, a melhor opção é pegar um ônibus noturno em direção à Rissani. Essa cidade fica a apenas alguns quilômetros de Merzouga que, por sua vez, fica a beira das incríveis dunas do deserto marroquino. Os ônibus partem diariamente de Fez, às 21h, e chegam a Rissani às sete da manhã do dia seguinte. O bilhete custa 150 Dirhrams, o que equivale a aproximadamente 15 Euros. Se você reservar a sua hospedagem em Merzouga com antecedência, é bem provável que o Riad envie alguém para te buscar na parada final do ônibus. Acredito que essa seja a maneira mais rápida e prática de se chegar ao deserto - principalmente para quem dispõe de pouco tempo e não deseja alugar um carro.

Em Merzouga, eu fiquei hospedado em um local muito agradável chamado Riad Mamouche. Além de prestarem um ótimo serviço por um preço razoável (a hospedagem custa 25 euros por pessoa, ou 30 euros para quem optar pelo serviço de meia-pensão), eles ainda organizaram todo o passeio pelo deserto (que incluía um pernoite), por um preço bem baixo. Para informações mais detalhadas, veja a crítica que escrevi no Tripadvisor. Eu recomendo!

Sobre o guia do site Mochileiros, acho que não vale a pena arriscar. Mesmo que ele seja um guia autêntico (o que ninguém pode garantir), é perfeitamente possível viajar e conhecer o Marrocos sem a companhia de um guia ou sem pacotes caros oferecidos pelas agências de viagem. Só é preciso planejar com cuidado e antecedência!

Bom, espero ter te ajudado um pouco em seu planejamento e, qualquer outra dúvida, é só escrever! Abraços!

terça-feira, 17 de abril de 2012

Hoje é dia de festa: o Cruzando Fronteiras completa um ano de vida!

Foi exatamente no dia 17 de abril de 2011 que eu decidi vencer a inércia e colocar no ar esse projeto com o qual eu vinha sonhando há muito tempo.

No início, o objetivo era apenas relatar a minha viagem ao Marrocos, postando aos poucos as minhas histórias, aventuras e impressões do país, que havia visitado alguns meses antes. Mas, com o tempo, fui postando também algumas outras dicas de viagem, comentando alguns outros destinos e postando sugestões de livros e filmes, além de alguns outros textos variados sobre viagens e aventuras.

Foi quando comecei a receber, diariamente, alguns e-mails com perguntas, pedidos de ajuda na elaboração de roteiros, etc.. Resolvi, então, publicá-los e criar uma espécie de coluna de “perguntas e respostas”, que se tornou o principal conteúdo do Cruzando Fronteiras.

E assim, o primeiro ano passou voando. Foram 158 posts (ou 159, contando com esse!) e quase 35 mil visitas. Agradeço a todos os visitantes e àqueles que me escrevem com perguntas, críticas e sugestões. E prometo continuar postando com a mesma regularidade de sempre (apenas de ter ficado um pouco sumido nos últimos meses).

Agora, estou começando o planejamento da minha próxima viagem e, enquanto for caminhando nesse projeto, vou compartilhando com vocês através do blog. E, se alguém tiver alguma dica sobre a Turquia ou a China, eu agradeço!

sábado, 14 de abril de 2012

Após uma longa ausência, volto com uma novidade. Próximo destino: Turquia e China!


Após uma longa ausência, motivada por obrigações no trabalho, outros compromissos pessoais e uma boa dose de preguiça (confesso), volto ao Cruzando Fronteiras com uma grande novidade! Aproveitando uma promoção imperdível, ontem à noite comprei as passagens aéreas para a minha próxima aventura!

Depois de uns bons meses de dúvidas e considerações, ouvindo a opinião dos amigos e frequentadores do blog (que participaram bastante da minha enquete e foram ouvidos, mesmo que parcialmente), eu ainda não havia me decidido sobre o meu próximo destino. Mas a promoção que eu encontrei esta semana, passeando pelo site da Turkish Airlines, foi o fiel da balança, e eu decidi não deixar essa oportunidade passar. Então, em novembro eu parto rumo à Turquia e a China!

Eu sei que essa é uma combinação um pouco exótica, já que são países bastante distintos e que mereciam um mês inteiro de viagem cada um (sem falar na distância física e cultural entre eles). Mas o voo entre o Brasil e a China permitia uma parada em Istambul, por um preço praticamente igual. Foi, portanto, a oportunidade única de conhecer dois dos países que mais me atraem, em uma só viagem.

Mas como são dois destino muito completos, com inúmeras atrações, a maior dificuldade foi decidir quantos dias passar em cada país. A Turquia é um país incrível e, além de Istambul, eu não poderia deixar de conhecer a Capadócia, Pamukkale e as famosas ruínas gregas. Por outro lado, a China é um mundo de atrações, cidades históricas, templos e maravilhas como a Muralha da China e o Exército de Terracota. Mas, como eu tinha que tomar uma decisão logo, antes que a promoção se encerrasse, acabei optando por passar dez dias na Turquia e vinte na China, totalizando um mês de muitas aventuras!

A China sempre foi um destino dos meus sonhos. Desde a minha adolescência, sonhei em cruzar as paisagens chinesas a bordo dos seus trens, desvendando essa cultura milenar e única e as nuances do seu povo. O primeiro livro de aventura que li foi o clássico “Viajando de trem através da China”, do famoso escritor Paul Theroux, um presente do meu avô. Desde então, viajar pelo mundo se tornou minha obsessão, e escrever sobre minhas viagens, minha maior vocação.

Dia 31 de outubro começo a vivenciar o local que imaginei e sonhei por tantos anos. Só espero que seja a primeira de muitas visitas a esse gigante do oriente.