quarta-feira, 28 de março de 2012

Perguntas e Respostas: Comentários sobre um roteiro no Sudeste Asiático – Parte II


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Valeu Luiz, está me ajudando muito, obrigado mesmo.  Ultimamente estou na duvida se vale a pena ir para o Laos ou ter mais tempo para curtir o Vietnã, Camboja e Tailândia. Acho que seria mais ou menos algo que você fez. Você tem um roteiro ou relato da sua viagem? Sua viagem em 28 dias foi tranquila ou teve que correr um pouco? Você conhece o Laos de outra viagem? Quanto a viagens de avião, se for para o Laos mesmo vou tentar ir de avião de Luang Prabang ou Vientiane para Hanói e também de Danang para Ho Chi Minh. Onde você comprou suas passagens? Comprou com quanta antecedência? Grande abraço! Gustavo.

As passagens aéreas eu comprei com um ou dois meses de antecedência, mais ou menos... Eu comprei diretamente no site das companhias. O trecho Bangkok-Hanói eu voei com a Air Asia, uma empresa low cost muito boa e com ótimos preços. O trecho Danang-Ho Chi Minh eu voei com a EasyJet, outra empresa low cost, e paguei apenas 25 dólares por pessoa! E o trecho Siem Reap-Bangkok eu voei com a Bangkok Airlines, mas foi uma passagem muito cara - não sei se vale a pena, apesar de ter me poupado um bom tempo...

Eu, infelizmente, nunca fui ao Laos, apesar de ter ouvido falar muito bem do país - algumas pessoas já me falaram que o Laos é o melhor país do Sudeste Asiático para se conhecer: calmo, relaxado e com algumas atrações bem interessantes...

Eu fiz o meu roteiro com razoável tranquilidade. Claro que não deu para fazer tudo o que eu queria (sempre tem algo a mais para se conhecer ou experimentar), mas, em geral, acho que a viagem teve um bom ritmo. Mas eu foquei muito no Vietnã e no Camboja. Na Tailândia, só fiquei em Bangkok mesmo, infelizmente. Acho que você deveria começar a montar um roteiro dia-a-dia. Assim, você vai tendo uma ideia se deve incluir o Laos nessa viagem, ou se é melhor aproveitar esses dias para focar também na Tailândia... Um ou outro voo pode fazer você poupar um precioso tempo e te permitir visitar os quatro países de uma só vez. Pode ser uma boa alternativa...


terça-feira, 27 de março de 2012

Perguntas e Respostas: Comentários sobre um roteiro no Sudeste Asiático


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Luiz, depois de muito pensar, eu e minha esposa decidimos conhecer o Sudeste Asiático no final desse ano. Nossa ideia é ter, fora a viagem de ida e volta para Bangkok, 40 dias para conhecer a região. Ainda estamos bem no começo do planejamento, por isso ainda temos muitas duvidas. Pesquisando bastante na internet, pensei nesse roteiro:

Bangkok - trem para Chiang Mai (possivelmente parando em Sukhothai e/ou Ayuttaya no caminho) - Ônibus para Chiang Rai (atravessar o Rio Mekong para o Laos via barco em uma viagem de dois dias parando em Pek Bing a noite e chegar a Luang Prabang - Ônibus para Vientiane (tentar ir a Vang Vien, Laos) - Ônibus para o norte do Vietnã - Halong Bay - Hanói - Trem noturno para Hue - Ônibus para Hoi An ou Danang - Ir para Ho Chi Minh City (tem alguma forma de ir além de avião?) - Ônibus para Phnom Penh - Ônibus para Siem Reap - Ônibus para Bangkok

Bom, como disse, essa é uma primeira ideia, bem básica mesmo, sem colocar tempos e datas em cada lugar. Queria saber a principio o que você acha. Em 40 dias é possível fazer esse percurso? Alguma sugestão de inclusão ou exclusão? Tem alguma viagem meio complicada (como a de barco para luang prabang)? Valeu!

No geral, eu acho que o seu roteiro está muito bom, incluindo os principais atrativos da região. Eu fiz um roteiro mais curto, em 30 dias, mas que incluiu boa parte dos locais que você planeja visitar, principalmente no Vietnã e Camboja (eu não cheguei a ir para o Laos).

Entre os pontos mais "complexos" do seu roteiro, acho que você teria que ver com atenção o trecho entre Chiang Rai e o Laos. Dizem que essa travessia é um pouco longa e cansativa, e a parada noturna é em um local dos mais simples - e bota simples nisso! Mas eu não fiz esse roteiro, e tudo que sei foi de conversar com outras pessoas que fizeram. Então, vale a pena pesquisar mais a fundo. O mesmo vale para o trecho entre Laos e Hanoi. Dizem que é um ônibus bem desconfortável e o trajeto é bem longo.

E, para o trecho entre Siem Reap e Bangkok, o melhor é você contratar um taxi até a fronteira, cruzar a fronteira e depois pegar o trem para Bangkok. Para maiores informações sobre esse trecho (e todos os demais nessa região), vale a pena acessar o site www.seat61.com - foi muito útil no meu planejamento!

Entre Hanói e Hue, o melhor é pegar o trem noturno mesmo - é uma experiência bem legal e confortável. Entre Hue e Hoi An, existem muitos ônibus, razoáveis e baratos. Só não deixe de pesquisar os preços, porque variam muito de uma loja para outra. Hoi An fica a uma hora de Danang, e de lá você pode pegar um voo ou um trem para Ho Chi Minh. Mas como o trem demora muito e não custa tão barato assim, recomendo que você vá de avião mesmo. Eu comprei com antecedência, e consegui um bilhete por US$ 25! A metade do preço da passagem de trem!

Os ônibus entre Ho Chi Minh e Phnom Penh, e entre a capital cambojana e Siem Reap são baratos e confortáveis. 

Eu fiz o trecho entre Hanoi e Bangkok em 28 dias, então eu acho que você vai conseguir sim fazer o seu roteiro em 40 dias. Mas, é claro, vale a pena elaborar um roteiro mais completo, dia a dia, mesmo que ao longo da viagem você vá adaptando para as suas necessidades... Qualquer outra dúvida, é só perguntar!! Abraços!


terça-feira, 20 de março de 2012

Frase da Semana


He who would travel happily must travel light.

Antoine de Saint Exupéry (1900-1944), escritor, poeta e aviador francês.


quinta-feira, 15 de março de 2012

Perguntas e Respostas: Algumas dúvidas sobre Casablanca e o Marrocos


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!


Oi Luiz! Vou ao Marrocos de excursão na semana santa. Ficarei um dia inteiro em Casablanca esperando o dia seguinte, para começar. Te pergunto: posso entrar na Mesquita? Posso andar de calça comprida a excursão toda? Levo euro ou dólar? Já sei que devo levar pachminas e saia comprida. Geralmente, não contrato excursão, mas para o Marrocos achei melhor. Rachel.

Olá Rachel! Tudo bem? Obrigado pela visita e espero ver você sempre por aqui, hein! Mas vamos às suas perguntas: a mesquita Hassan II, em Casablanca, é uma das poucas mesquitas marroquinas que aceita visitas de não muçulmanos. Mas fique atenta, porque ela não abre para visitas nas sextas-feiras - eu fui lá bem nesse dia e não pude entrar! 

Sobre a vestimenta, o Marrocos não é um país tão conservador como muitos pensam (principalmente nas grandes cidades), e o enorme número de turistas significa que o povo local está acostumado com tudo. Eu vi até mesmo mulheres andando de short e top na Medina de Marrakesh! Então, não se preocupe muito com isso, mas, de qualquer forma, é sempre melhor de vestir de forma discreta para evitar olhares, cantadas ou até mesmo umas apalpadas dos homens locais! Se você for em grupo, numa excursão, as chances de qualquer problema ficam ainda menores, e o máximo que você deve esperar é ouvir algumas gracinhas.

E sobre o dinheiro, eu só levei alguns dólares para emergências - e acabei nem usando o dinheiro. Eu preferi sacar tudo com o meu cartão de débito. Sobre isso, dê uma olhada aqui no site, pois eu já escrevi alguns posts sobre isso.

Bom, espero ter ajudado um pouco e, qualquer outra dúvida, é só escrever! Abraços!


terça-feira, 13 de março de 2012

Matrix Airfare Search - Procurando passagens aéreas mais baratas? Esse site pode ajudar!


Para aqueles que vivem de olho nas promoções e ofertas das companhias aéreas, em busca de uma passagem barata para o destino dos seus sonhos, eu trago uma dica que pode ser bastante útil. Normalmente, procuro os melhores preços diretamente no site das companhias, ou então em páginas como o Decolar.com ou o Submarino. Mas, recentemente, descobri um novo site que tem me ajudado muito a descobrir os melhores preços e trechos para os mais diversos destinos. O nome do site é Matrix Airfare Search (http://matrix.itasoftware.com/).


Essa página é, na verdade, um sistema de busca de tarifas que oferece uma grande variedade de vôos, combinando trechos em diferentes companhias aéreas e diversas rotas em busca de uma opção mais econômica. Eu testei o sistema de busca com vários destinos e datas, e o resultado foi, na média, bem melhor do que aquele oferecido pelo Decolar.com, por exemplo.

A única desvantagem é que o Matrix não permite a reserva ou compra de bilhetes. Conforme descrito no próprio site, você deve procurar a tarifa mais em conta e depois efetuar a reserva diretamente com a companhia aérea, ou então com um agente de viagens ou mesmo através de outra página da internet. Mas é importante anotar os códigos oferecidos no momento da busca. É por meio desses códigos que um agente de viagens ou a companhia aérea poderá localizar as tarifas desejadas.

Então, acesse o Matrix Airfare Search e faça um teste! Afinal, uma passagem aérea mais barata pode significar mais dias de viagem (ou um orçamento extra para compras e aventuras!).


quarta-feira, 7 de março de 2012

Perguntas e Respostas: Mais dicas para o Kruger


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Olá! Estou planejando uma viagem de sete a nove dias para o Parque Kruger agora na primeira semana de maio. Estou pesquisando as passagens e faço as consultas no Submarino Viagens. Teria outro lugar melhor para pesquisar? Quais as companhias fazem esse trajeto? Vou sair de Porto Alegre. Sabe me indicar a melhor forma de chegar até lá, seria num vôo direto para Johanesburgo? Você comentou que existe a possibilidade de fazer vôos locais de Johanesburgo ao Kruger. Inicialmente, pretendo fazer o trajeto de carro, mas você poderia comentar sobre eles? Após o horário que o parque "fecha", ele fecha mesmo ou eu ainda consigo entrar para me instalar? Quanto à alimentação, quais os custos? Devo levar algum alimento na mochila? Também gostaria de saber algo com relação ao visto e vacinas. Abraços.

Em relação à passagem aérea, eu comprei a minha no site Decolar.com, mas você pode olhar diretamente no site da companhia aérea. No caso, o melhor vôo geralmente é com a South African Airlines, que tem vôos diretos para Johanesburgo, a partir de São Paulo...

A partir de Johanesburgo, acho que o mais fácil é você dirigir até o parque. O caminho é tranqüilo e não é muito longo. Dependendo dos seus planos (e do horário de chegada do seu vôo) você pode pegar o carro no aeroporto e dirigir direto para o parque. Ou então, fique um ou dois dias em Johanesburgo e depois parta bem cedo para o parque, chegando lá no meio da tarde.

Existem sim vôos até o aeroporto de Nelspruit, bem próximo de uma das entradas do parque. Mas, considerando que você estará chegando por Johanesburgo e tem um tempo razoável a sua disposição, acho que vale mais a pena dirigir. É mais barato e você ainda conhece um pouco da região entre Johanesburgo e o parque, que é bem bonita.

Geralmente os portões fecham por volta de cinco da tarde (mas é muito importante você conferir os horários exatos no site oficial do Kruger). É sim possível você pedir uma permissão especial para chegar após esse horário. Mas você terá que pagar uma taxa extra e agendar a sua chegada com antecipação. Se fizer isso, um guia escoltará você até o campo, onde você passará a noite. Esse procedimento só está disponível para alguns portões e campos específicos. Mas, se te interessar, veja mais informações no site do parque.

Nos campos, existem restaurantes e supermercados. Os preços são um pouco caros, mas para quem não quiser cozinhar, é uma boa alternativa. Os campos possuem fogão para quem quiser cozinhar, mas você terá que levar os seus utensílios! Mas vale a pena levar pelo menos alguns biscoitos, iogurtes, etc., para matar a fome durante os safáris. 

Sobre vistos, eles não são necessários para visitar a África do Sul. Mas você terá que se vacinar contra a febre amarela - e levar o certificado internacional de vacinação.

Qualquer outra pergunta, é só escrever! Abraços!

segunda-feira, 5 de março de 2012

Perguntas e Respostas: Europa em agosto?


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Oi Luiz, tudo bem? Adorei seus posts sobre "Onde ir e onde não ir" em determinado mês. Mas ainda tenho uma duvida.  Eu e meu noivo estamos planejando uma viagem para Europa de 26 dias (a principio nosso roteiro: Roma, Veneza, Barcelona, Paris e Londres – não necessariamente nesta ordem. Você acha que são muitas cidades?). Pensamos em ir em agosto de 2012, achando que as ferias já teriam terminado e economizaríamos. Porém, uma amiga que mora na Itália disse que este é um dos piores meses, pois é época de ferias na Europa e tudo e relativamente mais caro. Isto e verdade? Qual mês você nos recomendaria? (Levando em consideração que já estamos em março e ainda não fechamos nada). Se você puder nos ajudar, seria ótimo! Obrigada, Simone.

Oi Simone, tudo bem? Antes de mais nada, obrigado pela visita ao Cruzando Fronteiras! Espero ver você sempre por aqui, hein... Eu estou sempre postando coisas novas! Sobre seu e-mail, realmente a sua amiga está certa! O mês de agosto é o auge das férias de verão na Europa, e o turismo lá estará no seu mês mais movimentado - e com isso as tarifas ficam bem mais caras do que nos outros meses. Se você for nesse período, tente reservar o transporte e a hospedagem com o máximo de antecedência, assim você pode economizar um pouco e ainda evita a surpresa de ficar sem lugar nos hotéis, trens, etc.. Se puder esperar um pouco, os meses de setembro e outubro são melhores opções. O forte calor do verão já terá passado e o início do outono trás temperaturas mais amenas. Você também aproveitará mais as cidades, que estarão menos cheias (e a Europa fica MUITO cheia na alta temporada). Isso sem falar nos preços mais baixos. Outra opção seria os meses de abril ou maio (a primavera européia é linda e imperdível), mas aí você teria que correr um pouco com as reservas. Se bem que, em baixa temporada, é capaz de você encontrar algumas boas ofertas de última hora. Procure nos sites como o decolar.com ou diretamente nos sites das empresas aéreas por promoções de vôos... quem sabe você não achar alguma boa oferta?

Sobre o seu roteiro, acho que está legal. Não está corrido - acho que você poderá aproveitar essas cinco cidades de forma bem tranqüila... quem sabe você pode até encaixar mais uma cidade (Florença, talvez? Quem sabe Madrid ou Amsterdam...). Mas primeiro decida o mês de viagem, depois resolva os detalhes do seu roteiro!

Qualquer outra dúvida, não hesite em perguntar! Se puder, será um prazer ajudar!

sexta-feira, 2 de março de 2012

Me acompanhe pelo mundo...

Svalbard Spain United States of America Antarctica South Georgia Falkland Islands Bolivia Peru Ecuador Colombia Venezuela Guyana Suriname French Guiana Brazil Paraguay Uruguay Argentina Chile Greenland Canada United States of America United States of America Israel Jordan Cyprus Qatar United Arab Emirates Oman Yemen Saudia Arabia Iraq Afghanistan Turkmenistan Iran Syria Singapore China Mongolia Papua New Guinea Brunei Indonesia Malaysia Malaysia Tiawan Philippines Vietnam Cambodia Laos Thailand Burma Bangladesh Sri Lanka India Bhutan Nepal Pakistan Afghanistan Turkmenistan Tajikistan Kyrgyzstan Uzbekistan Japan North Korea South Korea Russia Kazakhstan Russia Montenegro Portugal Azerbaijan Armenia Georgia Ukraine Moldova Belarus Romania Bulgaria Macedonia Serbia Bosonia & Herzegovina Turkey Greece Albania Croatia Hungary Slovakia Slovenia Malta Spain Portugal Spain France Italy Italy Austria Switzerland Belgium France Ireland United Kingdom Norway Sweden Finland Estonia Latvia Lithuania Russia Poland Czech Republic Germany Denmark The Netherlands Iceland El Salvador Guatemala Panama Costa Rica Nicaragua Honduras Belize Mexico Trinidad & Tobago Puerto Rico Dominican Republic Haiti Jamaica The Bahamas Cuba Vanuatu Australia Solomon Islands Fiji New Caledonia New Zealand Eritrea Ethiopia Djibouti Somalia Kenya Uganda Tanzania Rwanda Burundi Madagascar Namibia Botswana South Africa Lesotho Swaziland Zimbabwe Mozambique Malawi Zambia Angola Democratic Repbulic of Congo Republic of Congo Gabon Equatorial Guinea Central African Republic Cameroon Nigeria Togo Ghana Burkina Fassu Cote d'Ivoire Liberia Sierra Leone Guinea Guinea Bissau The Gambia Senegal Mali Mauritania Niger Western Sahara Sudan Chad Egypt Libya Tunisia Morocco Algeria

Esses são os países que eu tive a oportunidade de conhecer. Olhando assim para o mapa, foram tão poucos... Quanto espaço em branco! Mas, muito mais importante do que passar correndo em todos os lugares, é conhecer cada povo, suas culturas e tradições. Aproveitar cada local, cada cidade e vilarejo. Ter muitas histórias para lembrar  e contar. Então, vamos com calma!... É sempre importante lembrar que isso não é uma corrida. E vale a dica: não tente conhecer todo o mundo de uma só vez. Conheça cada país em seu próprio tempo. Absorva o máximo que você puder. Outras viagens certamente virão...

Ah, e se você quiser, entre no World Map Maker e faça o seu próprio mapa! É um jeito divertido de acompanhar as suas andanças e ainda sonhar com as próximas aventuras!



ArgentinaAustriaBelgiumBoliviaBrazilCambodiaChileColombiaDenmarkFranceGermanyItalyMoroccoNetherlandsPeruPortugalSouth AfricaSpainSwitzerlandThailandUnited KingdomVenezuelaVietnamSwaziland


Até agora: 9% (24 de 263 territórios)