terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Frase da Semana

"Travel is fatal to prejudice, bigotry and narrow-mindedness and many of our people need it sorely on those accounts. Broad, wholesome, charitable views of men and things cannot be acquired by vegetating in one little corner of the earth all one's lifetime."
                                              
                  Mark Twain, pseudônimo de Samuel Langhorne Clemens, escritor norte-americano (1835-1910)


segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Lonely Planet em nova versão – uma excelente surpresa!


Hoje, comecei a ler – apenas por curiosidade, afinal sonhar não custa nada! – a nova versão do Guia Lonely Planet Índia, lançada em setembro de 2011 e comemorativa aos 30 anos do Lonely Planet. Não sei se todos os guias dessa nova fornada seguem a mesma estrutura do guia indiano (mas vou conferir isso logo, logo), mas tenho que dizer que fiquei muito impressionado com o que estou lendo.

As mudanças para essa nova versão foram muitas. E bastante significativas! Normalmente, pouco se alterava de um ano para o outro, mas dessa vez a Lonely Planet resolveu inovar e revolucionar os seus guias. Agora, o guia está todo em cores (e não apenas as páginas com fotos) e contém muitos novos mapas, inclusive desenhos e ilustrações em 3D das principais atrações (seguindo o modelo dos Guias Ilustrados Folha, que têm nessas mesmas ilustrações o seu maior – senão o único – trunfo). E o guia ainda traz em anexo com um mapa colorido e detalhado de Nova Déli! Além disso, toda a estruturação do guia foi alterada, com novas seções e capítulos, que tornaram o guia muito mais amigável e de fácil leitura. São quadros, tabelas e pequenas chamadas que deixam as informações mais fáceis de localizar. Assim, o guia vai direto ao ponto, de uma maneira que me agradou muito.

Eu só comecei a ler o guia hoje pela manhã, então estou muito longe de concluir minha leitura. Mas já posso dizer que vale a pena ficar de olho nessas novas versões do Lonely Planet. Se eu já achava esses os melhores guias disponíveis, agora não me restam dúvidas: se você for viajar, não se esqueça de levar o seu guia Lonely Planet. Vai tornar a sua viagem mais fácil e mais completa.

Ah, essa nova versão está a venda no Brasil por R$ 69,90 (na FNAC, por exemplo). Acho que é um preço razoável, por um guia tão grande e completo, com 1.232 páginas. Mas, que quiser, pode também encomendá-lo diretamente do site da Lonely Planet por US$ 31,99 (mas com a taxa de entrega para o Brasil de US$ 28 e o tempo de espera de três a seis semanas, não acho que valha a pena).


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Perguntas e Respostas: Preparando um roteiro pelo Marrocos


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Bom dia Luiz! Muito legal seu blog! Eu queria muito sua ajuda... Estou viajando com uma amiga, partindo do Rio, chegando a Paris, onde fico por seis dias. Seguiremos para Fez e aí começa meu desespero nesse roteiro. Queremos visitar Fez, Meknes, Chefchaouen, Azrou, Marrakesh, Ouarzazat e fazer um passeio pelo deserto. Voltando, por fim, para Marrakesh, de onde voaremos para Londres. Um monte de duvidas sobre o que é melhor. Chegar por Fez? Fazer esses passeios por perto (Meknes, Azrou, etc.) vale a pena? O trem sai de Fez para Marrakesh as duas da madruga. Podemos fazer hora pela cidade sendo tão tarde? Quantos dias para conhecer cada lugar? De Ouarzazat já temos um Riad que faz o passeio ate o deserto, mas até Marrakesh fica por nossa conta. Teremos, ao todo, onze dias para o Marrocos. Estou meio desesperada! Você pode ajudar? Muito obrigada! Norma.

Oi Norma, tudo bem? Antes de qualquer coisa, obrigado pela sua visita ao Cruzando Fronteiras e pelo seu e-mail. Espero ver você sempre por lá, hein! Apesar da falta de tempo que me impede de dar ao site a atenção que gostaria, estou sempre tentando atualizar o blog com novas informações, dicas, etc.

Sobre suas dúvidas, eu acho, a princípio, que você está montando um roteiro bem legal pelo Marrocos. Grande parte das principais atrações do país está incluída e, considerando o tempo que você tem disponível (que não é muito), o seu plano é bem completo – apesar de um pouco ambicioso!

Fez e Marknes são cidades bem próximas entre si. E você pode conhecer a segunda como um day trip a partir de Fez. Ambas são lindas cidades históricas, apesar de eu ter gostado mais de Fez. Nessa região, vale muito a pena você reservar um dia (ou pelo menos meio dia) para conhecer as ruínas romanas de Volubillis. No total, acho que Fez merece uns dois dias só para ela, um day trip para Meknes e outro passeio de meio-dia para Volubilis. Totalizando uns quatro dias em Fez e na região do seu entorno.

Chefchaouen é uma cidade linda e que certamente merece uma visita. O que me preocupa, apenas, é a distância dessa cidade a partir de Fez (aproximadamente 4 horas de ônibus – um pouco longe demais para um day-trip). E esse tempo perdido na ida e na volta pode fazer falta em um roteiro apertado. Mas, se você encaixar bem os dias de deslocamento, acho que dá para inserir essa cidade no seu roteiro. Uma noite na cidade deve ser o suficiente. Tente voltar de Chefchaouen no mesmo dia que você pegar o trem para Marrakesh. Assim você perde menos tempo...

Azrou eu não conheço pessoalmente e, infelizmente, não posso te ajudar muito nessa parte.

Marrakesh, com certeza, será um dos pontos altos de sua viagem. A cidade é incrível e marcante (no seu lado positivo e no lado negativo também). Considerando o pouco tempo que você tem disponível, acho que você poderia passar três dias inteiros conhecendo a Medina e as demais atrações da cidade. Apesar do aparente caos, acho que não é necessário contratar um guia para conhecer Marrakesh. Consiga um bom mapa da Medina e vá com calma. Será necessária uma boa dose de paciência – porque o caos na Medina e os insistentes vendedores às vezes nos tiram do sério!

Ouarzazate é uma cidade bonita, e a sua principal atração é a cidade-fortaleza de Ait-Benhaddou (um lugar magnífico que você não pode perder). Ouarzazate está distante umas cinco ou seis horas de Marrakesh e você perderá um certo tempo chegando até lá. Se possível, tente ver Ait-Benhaddou no caminho entre Marrakesh e Ouarzazate. Mas isso só será possível se você fizer esse trajeto de carro ou taxi – ou então em um tour.

Como eu conheci o Marrocos em um carro alugado, não posso te passar informações mais precisas sobre os ônibus, apenas uma idéia geral das distâncias e do tempo entre as cidades. Mas, se você precisar de mais informações, tente entrar no site Wikitravel ou então no fórum do Lonely Planet. É lá que eu busco quase todas as informações para as minhas viagens...

Considerando que você gastará mais um dia para chegar até lá e conhecer a cidade-fortaleza, acho que o seu roteiro começa a ficar um pouco corrido. Eu não sei quanto tempo você ficará no deserto, mas, se considerarmos a distância, acho que deve ser no mínimo dois dias até você retornar a Marrakesh. De qualquer maneira, um ajuste aqui e outro lá deve ser o suficiente para você finalizar o seu roteiro no número de dias que você tem disponível. Não sei se suas datas estão fixas ou se você tem uma certa flexibilidade. Mas, de qualquer forma, vamos trocando idéias e no final tenho certeza que você terá uma viagem incrível!



quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Nova enquete no ar: qual deve ser o meu próximo destino?


Eu sei que acabei de voltar da minha última viagem, mas já é hora de começar a planejar a próxima - ou pelo menos começar a sonhar com a aventura seguinte! E nesse início de planejamento, sempre fico em dúvida sobre o destino ideal. Retornar ao Sudeste Asiático para conhecer os países que não pude ver da primeira vez? Ignorar as turbulências políticas e finalmente conhecer o Egito? Descobrir as características únicas de Cuba antes de seja tarde demais? Ou será que é chegada a hora de ir para a Índia? Ah, e não podemos esquecer da milenar China... Vote na nova enquete e ajude a escolher o destino da minha próxima aventura! Lembre-se que, da última vez, foram vocês que votaram pela Tailândia, Vietnã e Camboja!

Então, não deixe de votar, hein! A enquete está aí do lado esquerdo da página! Ah, e se tiver alguma outra sugestão, é só escrever!

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Perguntas e Respostas: Oito dias viajando sozinho pela Tailândia


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Olá! Você viajou sozinho pela Tailândia? É tranqüilo, vale a pena? Dá para conhecer muita coisa passando uns 8 dias na Tailândia? Chutando por alto, qual a expectativa de gasto por dia, incluindo transporte? Obrigado! Luis

Luis, bom dia! Tudo bem? Eu, quando fui à Tailândia, não fui sozinho. Mas conheci muita gente viajando sozinha, inclusive mulheres, e todos estavam aproveitando muito! Acho que viajar sozinho pela Tailândia não é nenhum problema. O país é bem seguro, estruturado, e muito divertido! Acho que você vai aproveitar muito!

Sobre os custos, acho que depende muito do seu estilo de viagem. Como eu fiquei hospedado num guest house um pouco mais caro, e não viajei de uma forma tão econômica assim, gastei na Tailândia uma média de US$ 45 dólares por dia, por pessoa. Mas acho que é possível viajar com muito menos do que isso. A partir de uns US$ 20 por pessoa, por dia, já dá pra ir, se você for bem econômico. Mas, para não arriscar e não ter que economizar muito durante a viagem (comprometendo a sua diversão), eu planejaria algo em torno de US$ 35 dólares por dia. Acho que ficaria de bom tamanho. O meu maior gasto, além do guest house, foi uma luta de Muay Thai, que eu assisti num lugar excelente, ao lado do ringue, mas que me custou US$ 30! Uma boa grana para o padrão tailandês!

Com oito dias disponíveis, você pode conhecer Bangkok (uns três dias são suficientes), Chiang Mai e depois ainda curtir uma praia, mas vai ficar um pouco corrido (use os vôos internos, que são baratos, e planeje com atenção). Ou então, dependendo dos seus interesses, optar por focar seus dias no norte da Tailândia ou nas ilhas do sul.

Espero ter ajudado um pouco! Qualquer outra dúvida, é só perguntar!


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Dicas e recomendações de hospedagem no Sudeste Asiático


Para aqueles que estejam planejando suas próximas férias no Sudeste Asiático (Vietnã, Camboja e Tailândia) e buscam informações sobre hospedagem, segue abaixo algumas análises que fiz dos hotéis, guest houses e albergues em que fiquei hospedado nesta minha última viagem. Essas críticas foram postadas originalmente no Tripadvisor, site que eu costumo freqüentar e que é a minha principal fonte de informações sobre hospedagens em geral.

Eu fiquei bem satisfeito com a qualidade da maioria dos locais onde me hospedei, e a minha avaliação reflete isso. Mas houve algumas decepções, é claro. Eu me hospedei sempre em quartos duplos, com banheiro, TV e ar-condicionado. Em todos os locais, havia internet Wi-Fi gratuita disponível nos quartos. E os preços variaram de US$ 20 a US$ 60 dólares por dia, por casal, numa média aproximada de US$ 30.

Eu sei que alguns de vocês preferem se hospedar em albergues, ou viajam sozinhos e costumam dormir em quartos coletivos. Outros vão preferir opções mais baratas, já que há hospedagem nesses países a partir de US$ 5 por dia, ou até menos! Mas acho que minhas opções podem ser úteis para pelo menos alguns de vocês! De qualquer forma, não deixe se pesquisar no Tripadvisor algumas outras opções, já que esse é um site bem completo e muito útil!

Então, se você pensa em conhecer Bangkok, o Vietnã ou o Camboja, vale a pena conferir esses links. Quem sabe você não encontra um bom lugar para ficar?

Ah, as críticas foram postadas originalmente em inglês, já que esse é o idioma mais comum no Tripadvisor. Mas, para quem tiver dificuldade, é possível visualizar as resenhas traduzidas para o português. Só não ligue muito apara a qualidade da tradução – eles usam um tradutor automático e o resultado é um pouco estranho (normalmente, muito ruim mesmo!).

Hanói - Art Hotel Hanoi: 
An excellent service makes the difference

Dong Hoi - Phong Nha Farm Stay: 
Disappointing stay at Phong Nha Farm Stay

Hue - Than Thien Hotel - Friendly Hotel: 
Good value for money at this hotel (but some small issues)

Hoi An - Windbell Homestay Villa: 
Excellent room but not so great service and location

Ho Chi Minh City - Lac Vien Hotel: 
Good and simple hotel in a great location

Phnom Penh - The Willow Boutique Hotel: 
Good small hotel, with great lounge area but not sogreat rooms

Siem Reap - Villa of Somali: 
Unprofessional and unreliable

Siem Reap - The Siem Reap Hostel: 
Good hostel with nice private rooms. Good value.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Viajar! Perder Países!


Viajar! Perder Países! 
por Fernando Pessoa (Lisboa, 13 de junho de 1888 - Lisboa, 13 de novembro de 1935)

Viajar! Perder países!
Ser outro constantemente,
Por a alma não ter raízes
De viver de ver somente!

Não pertencer nem a mim!
Ir em frente, ir a seguir
A ausência de ter um fim,
E a ânsia de o conseguir!

Viajar assim é viagem.
Mas faço-o sem ter de meu
Mais que o sonho da passagem.
O resto é só terra e céu



domingo, 5 de fevereiro de 2012

As fotos já estão no ar!


Para aqueles que ainda não viram e que têm interesse, já estão no ar as fotos da minha viagem à Tailândia, Vietnã e Camboja! Como são muitas, não é possível postar todas aqui no blog. Então, para poder visualizá-las, é só acessar o meu perfil no Facebook. As fotos são públicas e o álbum está no meu perfil pessoal. Basta procurar pelo meu nome: Luiz Fernando Niquet. É bem fácil e rápido. E não deixe de comentar!

No total, foram mais de 5.000 fotos! Eu suei, mas fiz uma seleção das 170 melhores fotos para publicar. Veja qual foi a que você gostou mais! No geral, acho que as fotos ficaram muito boas. Não pela técnica do fotógrafo (que não possui nenhuma) e muito menos pelo equipamento. O que ajudou, e muito, foi a beleza do cenário e a diversidade cultural da região. Veja e confira!



sábado, 4 de fevereiro de 2012

25.000 visitas! E contando...


Nessa semana atingimos a importante marca de 25.000 visitas! Nesses nove meses de vida, o Cruzando Fronteiras foi aos poucos se desenvolvendo, mudando em alguns aspectos, e aos poucos crescendo!

 Ainda estamos caminhando para o nosso primeiro aniversário, mas com a ajuda de vocês, que continuam a colaborar com seus e-mails, suas perguntas e sugestões, já conseguimos um número tão relevante para um blog tão novo!

Espero sempre contar com suas visitas, e prometo me esforçar sempre para manter o blog atualizado e com muitas dicas, informações, sugestões e novidades!

Vamos juntos rumo à visita número 100.000! Ou quem sabe ao incrível número 250.000?

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Guias Lonely Planet em português: finalmente!


Para todos aqueles que adoram os guias de viagem da Lonely Planet e não viajam sem uma versão a tiracolo (dentre os quais me incluo!), ou então para aqueles que sempre desejaram experimentar um guia Lonely Planet, mas que tinham dificuldade com o inglês, trago uma boa notícia! Desde o final do ano passado, estão a venda os novos volumes editados em português e lançados no país pela Editora Globo. Quase quarenta anos após a sua criação, finalmente poderemos aproveitar toda a qualidade desses que são considerados os melhores e mais completos guias do mundo (principalmente para os viajantes independentes e mochileiros) em nosso idioma.

Inicialmente, serão apenas oito destinos contemplados com a versão em português: Argentina, Portugal, Barcelona, Berlim, Istambul, Nova Iorque, Paris e Praga. São muito poucas opções, é claro. Principalmente se compararmos com as dezenas, ou centenas, de opções em inglês, espanhol ou francês. Mas já é um começo! E bem promissor!

Segundo a editora responsável pela publicação deste guia no país, ainda em 2012 serão lançadas mais doze versões: Espanha, França, Grécia, Croácia, Cuba, Amsterdã, Buenos Aires, Califórnia, Londres, Miami, Roma e Toscana.

Parece que, finalmente, teremos a opção de viajar pelo mundo com um guia Lonely Planet na nossa própria língua! Já estava na hora!



quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

Perguntas e Respostas: Dicas para uma viagem ao Peru


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Oi, Luiz, tudo bom? Nossa, estou super ansiosa, pois vou fazer minha primeira viagem "sozinha" (somente eu e uma amiga) e nunca viajamos para fora do país. Pesquisando na internet, achei seu blog e gostei muito das suas dicas, mas ainda continuo com duvidas e insegura! Tenho um congresso em Lima, no Peru, que vai do dia 29/05 a 02/06. Gostaria de ficar pelo menos até dia 9 no Peru para conhecer outros locais. Pensei, lógico, em Macchu Picchu e no Lago Titicaca. Mas, estou em dúvida sobre o tempo que devo ficar nesses locais. Você poderia me ajudar? Fico em Lima até dia 02/06, ai pego um avião (ou tem outro transporte melhor, mais barato?) vou para Cuzco e de lá fecho um passeio para Machu Picchu (?) e depois parto para Puno (ônibus?) e de Puno tenho que voltar para Lima, pois a passagem sai mais barato se eu comprar de ida e volta para o mesmo lugar! Desculpa o incomodo, mas se puder me ajudar... Beijos! Larissa.

Oi Larissa, tudo bem? Antes de qualquer coisa, obrigado pela visita ao Cruzando Fronteiras. Apesar de não ter atualizado muito o site nos últimos dias (eu estive viajando em janeiro e não consegui acessar a internet com muita freqüência ao longo da viagem), eu tento sempre manter o blog atualizado com textos, crônicas e dicas variadas. Espero ver você sempre por lá, hein!

Sobre a sua dúvida, acho que você está certa em querer conhecer Cuzco e Macchu Picchu nesses cinco dias que você tem “sobrando” após o seu congresso. Macchu Picchu é um lugar mágico e incrível, e Cuzco é uma cidade que, além de ser bela e possuir muitos atrativos por si só, é uma excelente base para se explorar a região do vale sagrado dos Incas. Acho que você poderia reservar um dia para Macchu Picchu e outros três para Cuzco e a região do seu entorno.

Para se conhecer Macchu Picchu a partir de Cuzco, você não precisa contratar um tour. É necessário apenas comprar o bilhete de trem e o ingresso para Macchu Picchu, o que você pode fazer pela internet mesmo. É bem simples e fácil. Eu já postei alguns textos sobre isso aqui no blog mesmo. Dá uma procurada nos posts mais antigos, acho que podem ser úteis no seu planejamento!

De Cuzco para Puno, o transporte é bem simples. Existem muitas companhias de ônibus que fazem esse trajeto, que dura de seis a oito horas, dependendo da companhia. As tarifas são baratas e os ônibus, em geral, são confortáveis. Além dos ônibus regulares, existem também ônibus turísticos, que são um pouco melhores, possuem guias a bordo e fazem paradas no caminho para fotografias. Acho que pode ser uma boa opção!

A cidade de Puno não é muito bonita e nem possui muitas atrações, mas é uma boa base para se conhecer o Lago Titicaca e as Ilhas Flutuantes. Assim que você chegar à cidade, contrate o passeio às ilhas flutuantes para o dia seguinte. Se quiser, você pode tomar o ônibus noturno no mês dia após o passeio (se quiser retornar à Cuzco ou então conhecer Arequipa). Se for voltar de avião, você terá que ir para Juliaca, uma cidade próxima, de onde saem os vôos para Lima.

Os preços dos vôos internos, normalmente não são muito baixos, então vale a pena procurar com atenção. A Taca é a principal empresa do país, mas os preços nem sempre são baixos. A Lan também faz esse trecho, se não me engano.

Com sete dias livres, acho que você deveria conhecer apenas Cuzco, Macchu Picchu, Puno e o Titicaca. Mas com um ou dois dias extras no roteiro, você poderia conhecer a cidade de Arequipa, que é uma pequena cidade colonial, muito bonita e que serve de base para se conhecer o famoso Cânion Del Colca. Ônibus noturnos ligam Puno a Arequipa. E de lá você poderá voar para Lima, com mais opções de empresas de horários (e preços um pouco mais baixos do que saindo de Juliaca). Quem sabe você consegue mexer um pouco nas suas datas e incluir essa cidade?

Algumas boas fontes de informação para o seu planejamento são os sites Wikitravel, Tripadvisor e o fórum do Lonely Planet (todos em inglês). Numa versão nacional, o site Mochileiros.com também pode te ajudar. E não se esqueça de comprar um bom guia levar com você. Isso também pode te ajudar muito no dia-a-dia da viagem!

Bom, espero ter ajudado um pouco no seu planejamento! Mas, se você tiver outras dúvidas, não deixe de escrever! Aos poucos, a sua viagem vai tomando forma. E tenho certeza que no final você vai se divertir muito!