terça-feira, 11 de outubro de 2011

Planejar seu safári no Kruger é mais fácil do que parece! Veja como fazer.

Visitar o Kruger não é complicado. Na verdade é bem simples! E uma excelente idéia também. Você só precisa seguir alguns passos importantes.

Primeiro, entre no site oficial do parque (http://www.sanparks.org/parks/kruger/) para conhecer melhor o local e reservar a acomodação com antecedência - no site há várias opções de campos (locais onde as pessoas se hospedam) e também de acomodações, com fotos, descrição, etc.. Além disso, é possível fazer a reserva online, pagar com cartão de crédito, num processo bem simples.



Eu, quando estive na África do Sul, fiquei no parque por cinco noites, sendo três delas no campo de Lower Sabie, uma em Satara e outra em Skukuza. Cada campo tem as suas características próprias, tanto de fauna quanto de flora. Esses três campos têm uma estrutura muito boa, com várias opções de hospedagem, restaurantes, mercados, postos de gasolina, etc.


Entre no site e veja o mapa do Kruger. No mapa é possível ver por onde entrar, qual estrada pegar, etc. No site, inclusive, tem um passo-a-passo de como chegar ao parque vindo de Johanesburgo. Não se preocupe, é bem fácil e é uma rota que milhares de turistas percorrem todos os dias! No mapa, você também vai poder ter a idéia do roteiro que fiz, da localização dos campos em que me hospedei, etc.

Primeiro, defina os campos em que você vai se hospedar. Depois, escolha o tipo de acomodação em cada campo. As acomodações variam de barracas de camping a luxuosos quartos. Eu fiquei em “huts” duplos, com ar condicionado. Foram muito bons e baratos. No site do parque você pode ver as opções de cada campo e fazer as reservas.

Mas é importante você sempre lembrar que o parque é muito popular e com muitos turistas. A estrutura é excelente, não é nada “selvagem” ou “radical”. O parque é uma atração internacional, principalmente para turistas europeus. E o serviço é de primeiro mundo. Inclusive nos restaurantes, lojas, internet, etc. Alguns campos têm piscina, lan house, caixas automáticos, etc. É tudo bem estruturado e organizado. E, por isso mesmo, é necessário efetuar sua reserva com muita antecedência. Dependendo da época do ano, é preciso confirmar com mais de seis meses de antecipação!

Depois de reservar a hospedagem, você deve reservar o aluguel do carro – pode ser qualquer um, mesmo popular. Não há necessidade de ser um carro de rali ou de safári. As estradas no parque são muito boas – algumas asfaltadas e outras de terra – mas todas muito bem cuidadas. Eu só acho que é uma boa um carro com ar condicionado, já que pode fazer calor no meio do dia. Com isso, é só dirigir até o parque. As estradas entre Johanesburgo e o Kruger são boas e simples. Eu fui sem nenhum mapa especial – só o mapa do guia Lonely Planet e foi bem fácil. Depois que você entra no parque, tudo é muito organizado e fácil. Na entrada você ganha um mapa do parque e uns guias de animais e outras informações.

Para o aluguel do carro, eu utilizei uma empresa sul-africana chamada Tempest Car Hire (www.tempestcarhire.co.za). Eu fiquei com o carro durante quinze dias, buscando o veículo em Durban e devolvendo em Johanesburgo. Foi tudo muito tranquilo, sem nenhum problema. E o custo do aluguel foi bem menor do que o cobrado pelas empresas internacionais, como a Hertz, Avis, e outras. Acho que vale a pena dar uma olhada no site dessa empresa. Pode ser um bom negócio!

Você pode voar até Johanesburgo, pegar o carro no aeroporto e ir dirigindo até o parque. Outra opção seria voar diretamente para um aeroporto que fica nas proximidades do parque, chamado Mpumalanga. É uma opção mais rápida e prática, mas também mais cara, já que poucas empresas voam até esse aeroporto (a principal delas é a Airlink, ligada à South African Airlines). Para Johanesburgo, porém, você pode utilizar alguma das várias empresas low cost que existem na África do Sul (1time, Kulula Air, etc)

Viram como não é tão complicado assim? Se você fizer o seu trabalho de cada com cuidado e antecedência, tenho certeza que terá uma das melhores e mais marcantes experiências da sua vida! Ah, e se você tiver qualquer outra dúvida, não se preocupe: é só me escrever. Se puder, terei prazer em ajudar no planejamento da sua viagem!


3 comentários:

  1. Muito legal, Luiz Fernando. Fiquei bem animado a te imitar. Dá para levar crianças nestes passeios? Você acha apropriado? Um abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, Theo! Eu não tenho experiência em viajar com crianças, mas acho que o Kruger é um bom lugar para levar seus filhos. A estrutura do parque é muito boa, e os quartos são confortáveis. Além disso, o parque é muito seguro. Só não sei como as crianças reagiriam a um dia inteiro dentro do carro - será que ficariam impacientes e agitadas? Mas, de qualquer forma, o Kruger é sempre uma aventura e é um prazer imenso visitá-lo. Recomendo bastante! Ah, e obrigado pela visita ao Cruzando Fronteiras, hein! Volte sempre!

      Excluir
    2. Obrigado pela resposta! Elas estão animadíssimas! Pode deixar, volto sempre. O blog é ótimo! Abraço!

      Excluir