segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Perguntas e Respostas: Uma semana no Marrocos – como chegar e para onde ir


Sempre recebo e-mails e mensagens de pessoas com dúvidas sobre viagens. São perguntas sobre roteiros, atrações, hospedagem, dinheiro, passagens aéreas, etc. Então, resolvi criar uma seção de perguntas e respostas, que postarei aqui no Cruzando Fronteiras sempre que houver alguma pergunta interessante e que eu ache que possa ser útil para os demais leitores. Portanto, se você tiver alguma dúvida ou quiser uma ajuda no planejamento de sua viagem, é só entrar em contato. Se puder, adorarei ajudar! E quem sabe sua pergunta não aparece aqui no Blog. Vamos à pergunta do dia!

Luiz, bom dia! Li vários relatos sobre viagens ao Marrocos e, no entanto, nada se encaixou para a gente. Explico: estaremos viajando eu, minha esposa e uma amiga. Essa amiga reside em Lisboa e irá conosco. Vi que não há muitas opções de vôos de direto para o Marrocos e estamos pensando em ir de carro. Outra questão é que não temos muito tempo, que seria em torno de cinco ou seis dias, contado com o deslocamento. Ficaria mais ou menos assim:

28/12 (quarta): saída de Lisboa com destino a Algeciras. Não atravessaríamos o estreito no mesmo dia. Pernoitaríamos lá ou em cidade próxima; 
29/12 (quinta): travessia do estreito logo pela manhã, com destino a Chefchaouen (dica de um amigo Português); 
30/12 (sexta): Chefchaouen. A tarde, saída para Fes (215km);
31/12 (sábado): Fez;
01/01/12 (domingo): Fez;
02/01 (segunda): ??
03/01(terça): Inicio do retorno para a Europa.

Alguma dúvidas: Chefchaouen vale a pena? O que fazer por lá? Não arrumei muita informação sobre essa cidade ainda. Em Fez, acho que não teremos problemas de programação. Mas se você tiver alguma dica, é bem vinda. E circular de carro no Marrocos, é seguro? Se você tiver alguma outra sugestão de roteiro, manda ver! Bem, por enquanto é isso. Se puder nos ajudar, ficaremos muito gratos! Grande abraço. Paulo Henrique 

Paulo Henrique, bom dia! Apesar do pouco tempo, acho que você irá gostar muito do Marrocos. É um país incrível, e viajar por essas bandas é uma experiência cultural sem igual! Mas vamos às suas dúvidas:

Eu dei uma pesquisada rápida na internet, e encontrei algumas opções de vôos entre Lisboa e Marraquexe, ou então entre Lisboa e Casablanca. A TAP faz esse trecho sem escalas, enquanto a Air Marroc e a Ibéria voam para esses destinos, mas com uma escala no caminho. Os preços giravam em torno de R$500 por pessoa, dependendo das datas, é claro, para ida e volta. Não sei se esse valor está no seu orçamento, ou se vocês planejam chegar ao Marrocos de forma mais econômica, mas levando-se em consideração o pouco tempo que vocês têm disponível, acho que voar pode ser uma boa opção – afinal seriam pelo menos dois dias extras no seu roteiro!

Chefchaouen é uma cidade histórica muito bonita, conhecida pelas suas vielas de tonalidade azul. Eu, infelizmente, não pude conhecê-la quando estive no país. Mas, quando elaborei um roteiro para a minha irmã visitar o Marrocos, inclui essa cidade. Ela adorou, e sempre fala muito bem desse local. Então, acho que pode sim valer uma visita. Mas é uma cidade bem pequena, sem muitas atrações específicas. Acho que caminhar pelas suas estreitas ruas e sentir o clima do local é a principal experiência em Chefchaouen.

É claro que, com um tempo tão curto, qualquer cidade que você acrescente ao seu roteiro significa retirar alguma outra opção. Outros destinos, como Meknes, Essaouira, Ouarzazate e até mesmo o deserto em Merzouga poderiam estar no seu roteiro – e seria igualmente uma ótima opção. Mas o importante é você avaliar as opções e decidir o que você gostaria de conhecer nesse momento. Os demais locais podem sempre ser visitados em outra oportunidade!

Nesse dia livre que vocês têm no seu roteiro, acho que pode valer uma visita de um dia à Meknes, uma antiga capital imperial do Marrocos, com atrações suficientes para preencher um bom day-trip. E acho que é possível vocês encaixarem também uma visita às ruínas romanas de Volubilis, que fica no caminho entre Fez e Meknes. Considerada a mais bem preservada ruína romana no norte da África, Volubillis foi uma agradável surpresa em meu roteiro. Os mosaicos são incríveis e estão surpreendentemente preservados, após tanto tempo de abandono!

Sobre dirigir no Marrocos, posso dizer que é bem tranqüilo – com exceção, é claro, do caótico trânsito nos arredores das Medinas. Mas as estradas em geral são boas, bem sinalizadas e o tráfego não é muito pesado. Só evite dirigir a noite, principalmente nas regiões montanhosas, onde as estradas às vezes são estreitas e ficam bem escuras à noite. Caso você vá dirigir pelos Atlas (o que não deve ser o caso), preste atenção às condições climáticas e à neve. Mas, no trecho entre Fez e Meknes e também entre Fez e Tangier, a estrada é uma via expressa muito boa, e você não deverá ter problemas.

Se quiser, navegue pelos posts mais antigos do blog. Eu postei um relato bem completo de minha viagem ao Marrocos, inclusive com algumas informações sobre as estradas e algumas das cidades que você planeja visitar. E, qualquer outra pergunta que você tiver, não hesite em me escrever! Se eu puder, será um prazer ajudar!

Um comentário:

  1. Olá,

    Achei ótimas as dicas que você deu para a viagem do Paulo, é sempre melhor ter uma segunda opinião para já chegar na cidade com um roteiro planejado.

    Abraços,
    Verônica
    www.falaturista.com.br/destino/hotel-sao-paulo

    ResponderExcluir