quinta-feira, 22 de setembro de 2011

São Paulo: A cidade do trabalho também pode ser a cidade da diversão


Por motivos profissionais, fui enviado a São Paulo essa semana. Cheguei na manhã de segunda feira e retorno no início da tarde dessa sexta feira. Serão apenas cinco dias na cidade, e as principais horas do dia serão passadas dentro de um escritório. Mesmo assim, com certo esforço, estou tentando transformar uma semana de trabalho em um tipo de turismo – mesmo que somente nas horas vagas.

Essa é praticamente minha primeira visita à cidade. Já estive aqui uma vez, alguns anos atrás. Mas foi uma passada rápida, de apenas um dia, também a trabalho. Isso sem considerar, é claro, as rápidas escalas no aeroporto de Guarulhos, entre o Rio de Janeiro e o resto do mundo.

Confesso que não tinha feito meu dever de casa, e não tinha nada planejado para esses dias – e nem muita noção do que me esperava em termos de atrações para um turista de ocasião. Mas fiquei bastante surpreendido (positivamente) com a cidade. Mesmo com uma disponibilidade de tempo espremida durante o horário do almoço, ou com as poucas horas restantes ao final do expediente, estou conseguindo aproveitar algumas atrações muito interessantes, e que certamente instigam uma nova visita, dessa vez com mais tempo, para apreciar tudo com calma e com a devida e merecida atenção.

Logo no primeiro dia, aproveitei o horário do almoço para uma visita ao Museu do Futebol, localizado sob as arquibancadas do tradicional Estádio do Pacaembu. Apesar de não ter muitas informações sobre o museu, já tinha ouvido falar muito bem do local. Ainda assim, fiquei surpreso com a qualidade e a modernidade da exposição. Rica em conteúdo multimídia, a mostra conta em detalhes a história do futebol brasileiro, desde a sua fundação até os dias atuais, focando principalmente na seleção nacional e nos seus astros. Bem localizado (próximo ao centro da cidade e da Avenida Paulista) e com uma entrada bem barata (apenas seis reais), esse é um local que merece, sem dúvida, uma visita! Agora sim temos no país um excelente museu dedicado ao esporte nacional e que pode rivalizar (e ganhar!) no museu do Boca Juniors, localizado no histórico Estádio de La Bombonera.

Ontem fui almoçar no Mercado Municipal, onde experimentei o tradicional pastel de bacalhau. O local me pareceu muito agradável, com diversas opções para um almoço. Além disso, as barraquinhas vendiam frutas, queijos, e outras delícias. Se eu fosse morador dessa cidade, certamente seria um freqüentador assíduo! No caminho até o mercado, tive ainda a oportunidade de passear um pouco e conhecer melhor a Avenida Paulista (menos movimentada do que imaginava), o metrô paulistano e a famosa 25 de maio, com uma multidão caótica que me lembrou a região carioca conhecida como Saara (só que em proporções colossais).

Para hoje, tenho planos de fugir no horário de almoço e visitar o Museu da Língua Portuguesa. E, ao final do dia, aproveitarei o horário estendido das quintas feiras (quando o horário de abertura do museu vai até às 20h, de acordo com o site oficial) para conhecer o MASP.

Amanhã, retorno para o Rio, com a impressão que deixei muitas coisas por fazer e muitos locais a serem conhecidos. Mas com a certeza de que São Paulo merece uma visita – nem que seja em um fim de semana prolongado, ou até mesmo numa semana de turismo improvisada nas sobras de uma semana de trabalho.


Nenhum comentário:

Postar um comentário