sábado, 18 de junho de 2011

Dica de Filme VII - Tio Boonmee, Que Pode Recordar Suas Vidas Passadas (2010)


Sob júri presidido por Tim Burton, “Tio Boonmee, que Pode Recordar Suas Vidas Passadas” levou a Palma de Ouro em Cannes 2010, diante de uma crítica dividida entre ovação e apedrejamento. 


Este filme, intitulado “Lung Boonmee Raluek Chat” no original, foi a grande surpresa do festival, e seu roteiro foi inspirado num trabalho realizado por Apichatpong Weerasethakul – cineasta de 40 anos, cultuado também por outros três filmes, sempre passados na floresta: “Blissfully Yours” (2002), “Tropical Malady” (2004) e “Syndrome and a Century” (2006) – com jovens do nordeste da Tailândia, que acreditam na transmigração de almas entre homens e animais.

O filme conta a história do Tio Boonmee (interpretado por Thanapat Saisaymar) que, sofrendo de insuficiência real, resolve passar os últimos dias de sua vida recolhido em uma casa perto da floresta, ao lado de entes queridos. Durante um jantar com a família, o espírito de sua esposa falecida aparece para ajudá-lo em sua jornada final. A eles se junta Boonsong, filho de Boonmee, que retorna após muito tempo metamorfoseado em outra forma de existência. Juntos, eles percorrerão o interior de uma caverna misteriosa, onde Boonmee nasceu em sua primeira vida.

Misturando surrealismo e simplicidade, “Tio Boonmee, que Pode Recordar Suas Vidas Passadas” é uma obra sincera, completamente aberta à exploração. Ninguém sai imune à sua sessão. Pode-se odiá-lo ou amá-lo, não importa. O fato é que o filme, de alguma forma, vai mexer com o público. Vale a pena assistir, nem que seja para conhecer um raro filme tailandês a surgir no mercado brasileiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário