domingo, 5 de junho de 2011

Dica de Filme VI – Babel (2006)


O cineasta mexicano Alejandro González Iñárritu concluiu em 2006, com este premiado filme, a trilogia iniciada com Amores Brutos (2000) e 21 Gramas (2003). Os filmes da série retratam conflitos e conseqüências surgidas de trágicos acidentes, que desenrolam em diversas conseqüências e atingem personagens aparentemente desconexos. Em Babel, porém, essas conseqüências ganham escala mundial. Para conseguir retratar esse fenômeno, Iñárritu optou por contar paralelamente quatro histórias, de modo intercalado, em três distantes regiões do planeta (Marrocos, Japão, e a região EUA/México).


Babel ostenta uma bonita fotografia, composta por locações que vão desde a aridez do deserto Marroquino até as locações urbanas de Tóquio, cheia de arranha-céus, luzes e modernidade. Iñarritu expõe de forma impressionante a beleza do Marrocos, em especial a região do Vale do Draa e o Alto Atlas. O filme, inclusive, foi rodado em Ouarzazate e em Ait-Bennhadou, patrimônio histórico da humanidade que tanto descrevi em meu relato de viagem!

Vencedor do Globo de Ouro de Melhor Filme e do Oscar de Melhor Trilha Sonora (além de sido indicado ao Oscar em mais seis categorias), Babel foi bastante festejado pela crítica, considerando-o um clássico desses novos tempos de globalização. Portanto, além de ser um excelente filme, é uma ótima oportunidade de conhecermos o interior marroquino e toda a sua beleza e cultura, além de observarmos também aspectos da cultura japonesa e mexicana, todas tão bem retratadas nessa maravilhosa colcha de retalhos. Recomendado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário